Compras com cartões registram alta no segundo trimestre Notícias
10
ago

Compras com cartões registram alta no segundo trimestre

As compras realizadas com cartões de crédito, débito e pré-pagos cresceram 52% no segundo trimestre de 2021 em relação ao mesmo período do ano passado. O montante de transações somou R$609,2 bilhões no período. Os dados foram divulgados ontem, dia 9 de agosto, pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), representante do setor de meios eletrônicos de pagamento.

Ao todo, foram registrados 7,1 bilhões de pagamentos com cartões nos meses de abril, maio e junho — o equivalente a 55 mil por minuto, 53,9% a mais do que no ano anterior. Além disso, o cartão de crédito foi o meio de pagamento que somou o maior valor transacionado no segundo trimestre: foram R$371,3 bilhões, um crescimento de 53%. O cartão de débito (R$214 bilhões, com alta de 42,3%) e o cartão pré-pago (R$23,9 bilhões, com alta de 214,3%) vêm logo em seguida.

Números são reflexo de abertura da economia e flexibilização de medidas restritivas 

De acordo com a Abecs, o resultado é reflexo do atual cenário do Brasil, com maior abertura da economia e flexibilização das medidas de isolamento social de combate à pandemia de covid-19. A conclusão leva em consideração que os dados estão sendo comparados com os levantamentos feitos no segundo trimestre do ano passado, pior período da crise decorrente do novo coronavírus.

Os dados mostram, ainda, que o uso de cartões para o pagamento em compras virtuais — tanto em sites quanto aplicativos — movimentou R$135,1 bilhões entre abril e junho deste ano, registrando uma alta de 46,5%. No acumulado do semestre, o valor movimentado chegou a R$255,2 bilhões, com crescimento de 41,2%. O destaque foi o mês de abril, que registrou avanço de 60% dos pagamentos online.

Período registrou menor taxa de inadimplência de cartões de crédito

O levantamento da Associação também mostrou que o segundo trimestre do 2021 registrou a menor taxa de inadimplência de cartão de crédito desde a criação da série histórica do Banco Central, chegando a 3,8% em abril e ficando abaixo do índice de inadimplência geral da pessoa física em empréstimos recursos livres (4%), que inclui crédito consignado, crédito pessoal e financiamento de veículos, entre outros.

“Isso mostra que, mesmo com o aumento expressivo do uso dos meios eletrônicos de pagamento e a crise gerada pela pandemia de covid-19, o brasileiro usa o cartão de crédito de forma consciente”, afirmou a Abecs em nota. “Ainda segundo dados do Banco Central, o saldo das transações sem juros do cartão cresceu 40,5% em junho, em comparação com o mesmo mês do ano passado. Por outro lado, o crédito rotativo recuou 8,3% e registrou sua 11ª queda consecutiva.”

Expectativa é que setor termine o ano com crescimento maior que 20%

Segundo a Abecs, as projeções indicam que a utilização de cartões deve crescer 24,5% em 2021. O número inicial era de 19%. “O avanço na abertura da economia e recuperação do setor de serviços reforçam as perspectivas positivas para o restante do ano. A tendência para os próximos meses é que o setor inicie um retorno a padrões de crescimento mais próximos aos dos anos anteriores à pandemia”, analisou a Associação. O valor movimentado deve chegar a R$2,48 trilhões. 

Redação MarketUP | Fonte: Agência Brasil

Autor:

MarketUP

Essas são as informações do autor que postou esse conteúdo muito interessante.