Últimas postagens

Ver todos

Prazo para pagamento da 1ª parcela do 13º salário termina nesta segunda; veja como funciona

Esta primeira parte representa metade do salário que o funcionário ganha; 2ª parcela deve ser depositada até o dia 18 de dezembro

 

Termina nesta segunda-feira (30) o prazo para que as empresas paguem aos seus funcionários o adiantamento da primeira parcela do 13º salário. A segunda parcela, por sua vez, precisa ser depositada na conta dos trabalhadores até o dia 18 de dezembro.

Aqueles que pediram o adiantamento do 13º nas férias, contudo, não recebem a primeira parcela agora (pois já receberam), apenas a segunda. A primeira parte representa metade do salário que o funcionário ganha.

O pagamento do 13º salário é feito com base no salário de dezembro, exceto no caso de empregados que recebem salários variáveis, por meio de comissões ou porcentagens – nesse caso, o 13º deve perfazer a média anual dos valores.

Os trabalhadores que tiveram a jornada de trabalho reduzida devem receber o 13º de forma integral, com base na remuneração do mês de dezembro, sem influência das reduções temporárias de jornada e salário. O pagamento integral vale mesmo que, em dezembro, o funcionário esteja recebendo remuneração menor em função da jornada reduzida.

No caso dos contratos suspensos, o período em que o funcionário não trabalhou não será considerado para o cálculo do 13º, a não ser que ele tenha prestado serviço por mais de 15 dias no mês. Neste caso, o mês será considerado para o pagamento do benefício.

Quem não receber a primeira parcela até a data limite deve procurar as Superintendências do Trabalho ou as Gerências do Trabalho para fazer a reclamação. Outra opção é buscar orientação no sindicato de cada categoria. A mesma orientação vale para os trabalhadores com jornada reduzida que não receberem o 13º de forma integral.

Caso o empregador não respeite o prazo do pagamento ou não pague o valor devido, poderá ser autuado por um auditor-fiscal do Ministério do Trabalho no momento em que houver fiscalização, o que gerará uma multa de R$ 170,25 por empregado.

O Imposto de Renda e a contribuição ao INSS incidem sobre o 13º salário. Os descontos ocorrem na segunda parcela sobre o valor integral do 13º salário. Já o FGTS é pago tanto na primeira como na segunda parcela.

O pagamento do 13° salário deve injetar R$ 215 bilhões na economia, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O número de pessoas com direito ao benefício soma 80 milhões, dos quais 60% são empregados formais (48 milhões de pessoas) e 38,4% (30,8 milhões) são aposentados e pensionistas da Previdência Social (INSS). O valor médio do 13º salário que será pago em 2020 é estimado em R$ 2.458.

Quem tem direito

Têm direito ao 13º salário todos os trabalhadores do serviço público e da iniciativa privada, urbano ou rural, avulso e doméstico, além dos aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) – neste último caso, eles receberam as duas parcelas entre abril e junho.

O 13º salário tem natureza de gratificação natalina e está previsto na Lei 4.749/1965. Todo trabalhador que atuou por 15 dias ou mais durante o ano e que não tenha sido demitido por justa causa tem direito à gratificação.

Os trabalhadores que possuem, por exemplo, menos de um ano na empresa têm direito ao 13º salário proporcional aos meses trabalhados por mais de 15 dias. Por exemplo, um empregado que trabalhou por seis meses e 15 dias deverá receber 7/12 de seu salário a título de 13º.

Já quem trabalhou de 1º de janeiro a 14 de março, por exemplo, terá direito a 2/12 de 13º proporcional pelo fato de a fração do mês de março não ter sido igual ou superior a 15 dias.

empregado afastado por motivo de auxílio-doença recebe o 13º salário proporcional da empresa até os primeiros 15 dias de afastamento. Já a partir do 16º dia, a responsabilidade do pagamento fica a cargo do INSS. Funcionárias em licença-maternidade também recebem 13º salário. Dessa forma, o empregador efetuará o pagamento integral e/ou proporcional (quando admitidas no decorrer do ano) do 13º salário.

trabalhador temporário tem direito ao 13º salário proporcional aos meses trabalhados. Os trabalhadores domésticos também recebem o 13º.

empregado despedido com justa causa não tem direito ao 13º salário proporcional. Se a rescisão do contrato for sem justa causa, por pedido de dispensa ou fim de contrato por tempo determinado, o 13º deve ser pago de maneira proporcional. A conta do valor é feita dividindo o salário integral por 12, e multiplicando pelo número de meses efetivamente trabalhados (a partir de 15 dias de trabalho).

Já no caso de estagiário, como não é regido pela CLT e nem é considerado empregado, a lei que regula esse tipo de trabalho – 11.788/08 – não obriga o pagamento de 13º salário.

O 13º salário para os beneficiários do Bolsa Família pode não ser pago em 2020. Segundo o Ministério da Economia, não há previsão, até o momento, para o desembolso da parcela.

Horas extras e faltas contam

As horas extras e o adicional noturno geram reflexos no 13º salário e devem incidir na base de cálculo dessas verbas.

Na segunda parcela do 13º, no pagamento dos outros 50% do salário, são acrescidas as médias das horas extras trabalhadas.

Para o cálculo, deve-se dividir o total de horas extras pelos meses trabalhados no ano para se chegar à média de horas mensal. Depois, calcula-se o valor da hora extra trabalhada dividindo pela jornada mensal prevista em contrato. Como a lei prevê que é preciso pagar um adicional de 50% sobre o valor da hora extra trabalhada, é necessário multiplicar esse valor por 1,5.

Gorjetas e comissões também devem entrar na base de cálculo do 13º salário, assim como adicionais de insalubridade e de periculosidade. Já as diárias de viagem só influem na base de cálculo do 13º se excederem 50% do salário recebido pelo empregado.

As faltas não justificadas pelo empregado, ocorridas entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de cada ano, serão consideradas para desconto. Caso sejam superiores a 15 dias dentro do mesmo mês, o empregado perderá o direito a 1/12 do 13º salário.

FONTE: Portal G1 

Como fazer sua empresa ser um negócio estável em 2020?

Tirar uma ideia do papel não é uma tarefa fácil. Visto que iniciar um novo negócio requer planejamento, conhecimentos, tempo e claro um pouco de coragem. 

É imprescindível pensar no futuro e estar preparado para as adversidades que podem ocorrer no caminho, como agora. Momento para corrigir algumas rotas e repensar novas alternativas.

De uma maneira geral, o rumo do seu negócio irá depender de você, e serão as suas decisões que definirão se a sua empresa irá se manter ou até crescer ou não.

Ao pensar em crescimento, falamos em expansão, ou seja, em um negócio escalável. Porém, para isso, é necessário que você tenha os recursos corretos, assim como uma gestão eficiente.

O que é escalabilidade?

A escalabilidade tem como objetivo aumentar o volume das atividades de produção, mas sem a ampliação dos custos do negócio. Ou seja, um negócio com boa escalabilidade aumenta o faturamento sem precisar elevar proporcionalmente os custos, gerando assim um alto potencial de expansão.

Mas, quando pensamos em escalabilidade, precisamos entender de que forma o negócio irá se comportar e como ele vai crescer.

Escalabilidade horizontal (out)

Empresas que escolhem este modelo tem como meta ser referência em seu segmento. Desta forma,  não é um negócio que atende apenas um público e sim uma marca que abrange uma diversidade de clientes, mercados, tornando-se líder no campo em que atua. A atuação é ampla o que gera mais vendas.

Escalabilidade vertical (up)

Já na escalabilidade vertical, a empresa quer crescer, porém, dentro do seu próprio segmento. Um exemplo deste modelo: você possui um estabelecimento que vende bolsas, a ideia é que seja vendida a maior variedade de bolsas para abranger as demandas deste nicho.

O que eu preciso para ser uma empresa escalável?

Alguns pontos são extremamente importantes para o crescimento saudável do seu negócio.

  1. O custo não pode crescer de forma proporcional à receita;
  2. Você não poderá gastar muito para conquistar seus clientes. Ou seja, o seu CAC (Custo de Aquisição de Cliente) deve ser baixo;
  3. Os objetivos da empresa devem ser claros e tangíveis.

6 dicas para sua empresa crescer em 2020

1. Cliente em primeiro lugar

 

O cliente tem sempre razão? Às vezes. Soa óbvio, mas em um mundo onde todos podem dar sua opinião abertamente sobre marcas e serviços nas redes sociais, qualquer deslize pode causar perda de clientes e, consequentemente, dinheiro.

Use os dados que os consumidores deixam na internet, seja por compra ou pesquisa, e procure entendê-los. Você poderá, então, ter mais noção do valor que sua marca pode passar.

 

2. Inteligência Artificial

Ela está nos carros, nos aviões, na palma de nossas mãos e até mesmo nos aspiradores de pó. A chamada IA – Inteligência Artificial, já está presente em nosso dia a dia, influenciando a sociedade e facilitando a vida das pessoas.

A tendência do futuro, é que muito mais empresas passem a usar este tipo de tecnologia ao seu favor na intenção de satisfazer o público.


3. Acompanhe o mercado 

Nos últimos anos, o consumidor ficou mais exigente. Com fácil acesso à internet e a informação, as marcas precisam focar na qualidade de seus produtos e serviços, bem como estarem focadas nas tendências do mercado.

Hoje em dia, para ter sucesso nas vendas, as empresas precisam explorar a tecnologia e acompanhar a jornada do cliente. Pois, desta forma elas conseguem compreender todo o processo para que o cliente se torne fiel à marca.

Mantenha-se atualizado para ter mais chances de sair na frente de seus concorrentes.

 

4. Use um sistema integrado de gestão empresarial

Por mais que você, empreendedor, tome conta de todos processos de sua empresa, se desdobrar em mil para atender às tarefas pode ser algo complicado. Aproveite para investir em um neste momento e para organizar a administração do seu negócio.

Você pode até contar com vários colaboradores, porém já pensou em usar a tecnologia?

O sistema integrado de gestão empresarial é a forma simples e prática de desburocratizar os processos operacionais de seu negócio. Por meio dele, você integra os processos internos de sua empresa e economiza tempo e dinheiro.

Além dessa plataforma contribuir nas vendas, controle de estoque, financeiro é a uma tecnologia que pode contribuir também com maiores resultados ao seu negócio.

QUER COMEÇAR A FAZER A GESTÃO DO SEU NEGÓCIO? CRIE SUA CONTA AGORA MESMO

 

5. Loja Virtual

Essa é uma possível alternativa a ser adotada, principalmente, após a mudança que tivemos nos hábitos de consumo. Com o crescimento das compras online e a criação de decretos estaduais e municipais determinando o fechamento dos comércios, devido ao novo coronavírus, têm sido fatores que influenciam.

Criar uma loja virtual é uma maneira de manter o estabelecimento ativo. Aproveite esse período e estudo sobre o assunto em vários cursos, inclusive gratuitos, disponíveis na internet.

Utilize esse tempo para criar o seu e-commerce, cadastrar todos os seus produtos no ambiente online e não perder as vendas.

Dentro da plataforma MarketUP você consegue habilitar a sua loja virtual. Saiba mais no conteúdo exclusivo que disponibilizamos gratuitamente.

Além disso, a integração entre o sistema de gestão e a loja virtual garante maior controle e praticidade no dia a dia do seu negócio.

 

6. Delivery

O serviço delivery é outra necessidade para muitos comércios nesta ocasião.

Nesta modalidade os estabelecimentos podem tanto se cadastrar na plataforma de algum aplicativo de entrega, como Ifood e UberEats, por exemplo. Assim como, oferecer o seu próprio serviço.

Para essa opção é preciso estar atento ao controle e a qualidade nas entregas. Por este motivo, ter ferramentas como um software de gestão para ajudar é sempre um bom negócio. E aliar a tecnologia na tarefa ainda colabora para ter mais agilidade no serviço.

 

POR: TAINÁ ALMEIDA

Imposto de renda 2020: Já está preparado?

Todo início do ano, milhares de brasileiros começam a se preocupar com o Imposto de Renda. 

Mesmo sendo um assunto muito comentado entre todos os brasileiros anualmente, ainda desperta muitas dúvidas sobre os seus procedimentos.

O imposto de renda é uma taxa cobrada todo ano, sobre os ganhos de algumas pessoas. Dependendo do rendimento de cada um, a cobrança passa a ser obrigatória. 

Vamos falar mais sobre o  imposto de renda a seguir.

O IMPOSTO DE RENDA 2020

O IR é um dos tributos mais importantes do país. A declaração deste imposto é obrigatória para as pessoas que tenham recebido ganhos acima do valor mínimo, pré-estabelecido pelo órgão fiscal – a Receita Federal

A declaração do IR deve ser feita para analisar os possíveis créditos ou débitos e fazer a devida restituição deste imposto. 

O cálculo do imposto é baseado em sua renda,  sendo os valores da alíquota proporcionais a ela.

Agora, as pessoas que possuírem renda inferior ao valor mínimo determinado são consideradas isentas. 

QUEM DEVE DECLARAR?

Neste ano, devem declarar as pessoas que receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 28.5590,70, em 2019. Este valor não teve alteração, é o mesmo da declaração do IR dos últimos dois anos.

Segundo o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional), nos últimos 20 anos não houve correção da tabela do IR em quatro governo diferentes. 

Veja, quem mais deve declarar o Imposto de Renda:

 

  • Contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado; 
  • Quem obteve, em qualquer mês de 2019, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas; 
  • Quem teve, em 2019, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural; 
  • Quem tinha, até 31 de dezembro de 2019, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil; 
  • Quem passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês do ano passado e nesta condição encontrava-se em 31 de dezembro de 2019; 
  • Quem optou pela isenção do imposto incidente em valor obtido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias, contado da celebração do contrato de venda.

TABELA DO IMPOSTO DE RENDA 2020

Confira a tabela do IR das Pessoas Físicas de acordo com as faixas de renda e as alíquotas que são cobradas.

  • Quem ganha até R$ 1.903,98 está isento da cobrança.
  • Valores entre R$ 1.903,99 e R$ 2.826,65 são taxados em 7,5%.
  • Valores entre R$ 2.826,66 e R$ 3.751,05 tem uma cobrança de 15%.
  • Valores entre R$ 3.751,06 e R$ 4.664,68 têm uma alíquota de 22,5%.
  • Renda acima de R$ 4.664,68 é taxada com uma tributação de 27,5%. 

O prazo para para envio da declaração do Imposto de Renda de 2019 vai de 2 de março a 30 de abril. 

 A Receita Federal divulgou na última quarta-feira (19) um programa gerador do Imposto de Renda 2020, referente ao ano-base 2019. Além disso, o órgão fiscal espera receber 32 milhões de declarações dentro deste prazo. 

Vale lembrar, para os contribuintes que não fizer a declaração ou entregá-la fora do prazo, será multado no valor mínimo de R$ 165,74. E o valor máximo corresponde a 20% do imposto devido.

 

MALHA FINA

Ainda sobre o Imposto de Renda, você já ouviu falar da malha fina? Ela existe para que sejam identificadas possíveis fraudes de pessoas que tentam burlar o imposto.

Todas as informações declaradas devem ser legítimas.  Por isso, ao declarar, preste atenção, evite erros e especifique todos os gastos, ganhos e impostos a serem pagos. Para quem não tem experiência com este procedimento, conte com a ajuda de um contador.

Ao realizar todos os procedimentos corretamente, você evita cair na malha fina e ter que refazer novamente o IR.

 

 

4 ideias de negócios lucrativos para você empreender em 2020

Saiba quais serão os negócios lucrativos para você apostar neste ano

Iniciamos o ano de 2020 e nos planos de muitas pessoas está o desejo de empreender.

Mesmo que 2019 tenha sido um ano difícil devido à crise econômica, podemos esperar resultados melhores neste ano.

Após um crescimento acima do esperado no segundo trimestre, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), estima que o Produto Interno Bruto (PIB) apresente um crescimento rápido no terceiro trimestre de 2020.

Saber que neste ano podemos esperar perspectivas melhores já é um bom começo. No entanto, como se destacar e ter bons resultados perante a uma economia que ainda está se recuperando? 

É preciso enxergar oportunidades de negócios e analisar o que você faz de melhor para se sobressair no mercado.

Vamos listar mais abaixo 4 negócios lucrativos que estão em alta para você investir em 2020. Mas, antes de abrir um negócio, é preciso ficar atento a alguns pontos importantes. 

COMO CRIAR UM NEGÓCIO

Para abrir uma empresa, muitos passos são importantes antes de tirar a ideia do papel. Existem algumas habilidades que todo empreendedor precisa ter para conseguir bons resultados e administrar um bom negócio. Há ainda, muito conhecimento do mercado em que deseja atuar, um plano de negócios bem estruturado entre outras coisas.

Empreender não é uma tarefa fácil, porém com muito planejamento estratégico e uma boa gestão você conseguirá bons resultados.

TIPOS DE NEGÓCIOS

Uma das principais dificuldades de todo empreendedor é a burocracia. É muito complexo hoje abrir uma empresa. São ao todo 17 procedimentos para se realizar. E é claro que nem todo empreendedor conhece esses procedimentos, por isso conte com a ajuda de um contador.

Confiram um resumo de quais tipos de empresa é possível abrir:

Empresário Individual (EI) – O Empresário Individual desempenha sua atividade comercial em nome próprio e, em razão de sua natureza, só pode ser composta por uma pessoa.

Microempresário Individual (MEI) –  Hoje uma das modalidades mais fáceis e rápidas para se abrir. Porém, fique atento às restrições. O MEI é o empresário individual com receita bruta anual até R$ 81 mil. E nesta modalidade não pode ter mais de um funcionário.

Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli) – A Eireli é constituída por um titular, sem a necessidade de mais sócios. E requer um investimento de, no mínimo, 100 salários mínimos no ato de abertura.

Sociedade Empresária – Nesse tipo de empresa, há uma atuação coletiva entre dois ou mais sócios, com responsabilidade limitada ao capital social.

Sociedade Empresária Limitada (Ltda.) –  É o tipo de empresa mais adotada no Brasil, é um modelo mais simples e protege o patrimônio pessoal dos sócios.

Sociedade Simples – A sociedade simples é uma empresa com atuação Coletiva, ou seja, dois ou mais sócios. A responsabilidade dos sócios é ilimitada. Nesse tipo de empresa, estão negócios que oferecem apenas serviços.

Sociedade Anônima (SA) – Dividida em dois tipos (capital aberto e capital fechado), a Sociedade Anônima consiste em uma divisão de capital entre sócios, chamados de acionistas.

Bom, agora que você já entendeu alguns processos para abrir a sua empresa. Vamos conhecer a seguir quais ideias de negócios lucrativos irão se destacar no ano de 2020.

#1- Beleza e cosméticos

Provavelmente, você sempre vê um salão de beleza aberto seja perto de casa ou do trabalho, certo? Mesmo, em período de crise, este segmento tende a alcançar bons resultados em 2020. Sendo uma boa oportunidade de negócio para você investir. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal (ABIHPEC), há uma previsão de 14% de crescimento para o próximo ano.

Este segmento vale o investimento, pois há inúmeras formas de explorar este mercado.

#2- Coaching

O coaching está cada vez mais frequente na vida dos brasileiros, principalmente, nos últimos anos. Hoje em dia, as pessoas buscam formas de desenvolver competências para aprimorar a forma que lidam com os desafios e problemas do dia a dia, tanto no âmbito pessoal como no profissional. Por isso, montar uma microempresa de coaching, pode ser uma boa alternativa para 2020. 

Só para você ver como investir em coaching vale a pena. Entre 2015 e 2019 o coaching cresceu mais de 300%, segundo dados da International Coach Federation

#3- Alimentação saudável e gourmet

A alimentação saudável e a gourmet estão no auge. Segundo pesquisas as pessoas estão cada vez mais interessadas por alimentação saudável, o que corrobora com um mercado tão aquecido. De acordo com o relatório Brasil Food Trends 2020, a sensorialidade e prazer ainda é um dos principais critérios de consumo no país. Portanto, inovar com os alimentos gourmet é uma tendência para o próximo ano.

Segundo dados da Euromonitor o setor de alimentos e bebidas saudáveis cresceu 12,3% ao ano nos últimos cinco anos, e a previsão é que feche 2019 com crescimento de 50% (R$ 110 milhões).  Nunca um mercado esteve tão favorável para esse tipo de negócio. Quer saber mais sobre como abrir uma empresa de marmitas fitness? Veja.

#4- Mercado PET

O último de nossa lista é o mercado PET, outro negócio lucrativo que está a todo vapor.  De acordo com o IBGE, existem mais de 132 milhões de animais de estimação no país. E claro, donos que querem novidades para agradar seus bichinhos. O resultado  disto, é um mercado aquecido, que deve atingir um faturamento de R$ 20 bilhões em 2020. E este mercado há diversos nichos que entram neste segmento como: 

  • Lojas especializadas
  • Pet shops
  • Marcas de produtos
  • Alimentos para animais
  • Clínicas veterinárias

POR: Tainá Almeida

Conheça tecnologias que podem fazer a diferença em 2020

O varejo mudou e é fato que a adaptação é inevitável. É preciso acompanhar as tendências para conseguir melhores resultados para o seu negócio.

A mudança do comportamento dos clientes é evidente. A maioria das pessoas está com celular conectado nas redes sociais. Os motores de busca online determinam qual será a compra e os algoritmos mostram os perfis dos compradores. A nova revolução tecnológica impulsiona as tendências para o futuro do varejo. 

Para quem tem a própria empresa, seja ela um micro ou pequeno empreendimento, é preciso ficar bem atento às novas tecnologias e serviços que surgem a todo momento e prometem transformar o dia a dia de trabalho. Nos últimos anos, dados e aparelhos conectados à internet tomaram conta do noticiário tecnológico. E ferramentas como essas, claro, também podem ser utilizadas no seu negócio. Basta saber como aplicar e usufruir dos serviços. 

Vamos saber mais a seguir.

1. Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial é o ramo da tecnologia dedicado a criar dispositivos digitais que simulem a inteligência humana, como a nossa capacidade de falar, interpretação, etc.

Isso pode ser explicado no varejo com o uso de chatbots, –  sistema de atendimento automático de clientes, em que o consumidor conversa com um robô- .

2. Uso do mobile

Imagine a seguinte cena: O cliente entra na loja, olha os produtos e para na frente de um item. Então, ele tira o celular do bolso e começa a pesquisar – ali mesmo – sobre aquele produto na internet.

Esse é um comportamento cada vez mais comum entre os consumidores. Isso acontece pelos seguintes motivos:

  • Com a expansão do uso dos smartphones, esse aparelho tornou-se uma plataforma muito importante para os clientes, por onde eles buscam informações que os ajudem em suas decisões de compra.
  • Além disso, pesquisar na internet antes de comprar é um passo crucial na jornada de compra da atualidade. Se o cliente não pesquisar no celular dentro da loja, provavelmente ele fará isso assim que sair dela.

Resta aos empreendedores, adaptarem-se a esse novo modelo de compra, incentivando a pesquisa na web e fortalecendo a presença da loja na internet para ser encontrado pelos clientes também no ambiente digital.

Por isso, investir em marketing digital em seu estabelecimento pode ser uma forma de modernizar seu negócio.  As redes sociais podem trazer inúmeros benefícios para a sua empresa, como maior credibilidade, além de ser uma forma de comunicação entre sua marca e seu consumidor. Além disso, você pode traçar estratégias que facilitem o marketing da sua companhia a fim de ter um bom posicionamento de sua empresa.

3. Dispositivos inteligentes no varejo

Internet das coisas é o conceito relacionado ao desenvolvimento de produtos conectados à internet. São objetos “inteligentes”, que podem acessar a web, armazenar dados, compartilhar informações e interagir com os usuários.

Essa tecnologia pode afetar o varejo de diversas formas, já que transforma os produtos da loja em verdadeiras mídias e/ou canais de comunicação.

  • Uma das maneiras mais simples de se começar a usar dispositivos inteligentes nos produtos da loja para que eles interajam com os consumidores é por meio dos beacons.
  • Os beacons são aparelhos que conseguem identificar dispositivos móveis próximos e interagir com eles – mandando mensagens, por exemplo, com informações e ofertas de algum produto da seção em que o cliente se encontra.

4. Arquivos na nuvem

Provavelmente você já deve ter colocado fotos do seu smartphone no drive do celular, não é mesmo ? Esta função é a computação em nuvem, uma maneira prática de você acessar e armazenar seus arquivos e qualquer tipo de dado através da internet. A computação em nuvem permite o acesso às suas informações, arquivos e programas de qualquer computador. Desde que, tenha acesso a uma rede de internet, pois o armazenamento não é feito em um disco rígido. Com isso, você garante maior mobilidade na sua empresa tendo acesso às informações empresariais de onde você estiver. 

5. Vendas online

Aproveitando a internet em prol da sua empresa, que tal apostar no e-commerce e migrar suas vendas para o mundo virtual? Acompanhe as tendências para o e-commerce que irão diferenciar seu negócio, além de conquistar um número maior de clientes.

E não só isso, investir em um site interativo ou em estoque organizado são dicas de sucesso para você vender mais em qualquer época do ano.

6. Automatizando processos

Vimos algumas ferramentas que podem contribuir e modernizar o seu negócio, mas você já ouviu falar de sistema de gestão ?

É um software que organiza os processos operacionais e automatiza os processos  de sua empresa. Assim, você ganha mais agilidade nas tomadas de decisão.

Com o sistema de gestão você controla toda a parte financeira, estoque, vendas e relatórios de seu negócio. E ainda consegue fazer a emissão de notas fiscais e fornecer um atendimento personalizado aos seus clientes.

Conheça alguns serviços que podem ajudar a fazer a diferença em seu negócio em 2020

 QRPOINT

Enfrentar a burocracia trabalhista de uma forma mais simples, o QRPOINT é um sistema de controle e gestão inteligente da jornada de trabalho substituindo as tradicionais formas de controle de ponto (relógio de ponto, folha de ponto, relógio cartográfico, etc). Uma alternativa segura para a empresa, que busca praticidade ao gerenciar a presença de seus funcionários. Uma tecnologia que simplifica a relação entre empresa e colaborador, ao registrar em nuvem informações como hora, Geolocalização e registro facial, em tempo real, garantindo assim a presença no local de trabalhado através de um smartphone, tablete ou computador. É fácil e seguro!

Usuário MarketUP testa grátis por 10 dias e ganha desconto especial na compra de pacotes de serviço. Saiba mais! Acesse sua conta MarketUP, clicar no menu em “UpStore”e depois em “QRPOINT” ou clicando aqui

 LINK:  https://conteudo.qrpoint.com.br/exclusivo_parceiros_marketup  

 

CONCILIADOR

Perde muito tempo controlando as vendas das diferentes máquinas de cartões que utiliza?

O nosso parceiro CONCILIADOR oferece um sistema exclusivo que confere as  vendas efetuadas por meio de cartões, verificando automaticamente se o que foi vendido, de fato, entrou no seu caixa. O sistema ainda checa as tarifas cobradas pelas operadoras e controla as antecipações de recebimentos. Com nosso parceiro CONCILIADOR você controla todas as vendas na palma da sua mão, de onde estiver – por smartphone ou tablet. Saiba mais!  [link para: ??]

LINK: https://conciliador.com.br/campanha_20180903_003/

 

OHUB

Tanto quanto ganhar agilidade no dia a dia, reduzir custos é primordial para saúde do seu negócio. A busca por fornecedores leva tempo e consome esforços. Se quer economizar com contratações de serviços não pode depender apenas de um orçamento. Com o nosso parceiro OHUB você recebe diversos orçamentos com um só pedido, sem pagar nada pelo serviço. Economize tempo e dinheiro. Peça seu orçamento agora! 

LINK: https://www.ohub.com.br/marketup