Últimas postagens

Ver todos

Saiba como investir em uma pequena franquia em 2021

Já pensou em investir em uma franquia barata em 2021 e poder ter as melhores oportunidades para ganhar dinheiro? Sabia que é bem possível, mas para isso é preciso estar alinhado às tendências de negócios. 

As pequenas franquias também conhecidas como franquias baratas são opções de investimento que partem dos 5 mil e podem chegar até 90 mil reais. Essas franquias são empreendimentos que possuem uma boa taxa de investimento e rentabilidade atrativa. 

 

Como empreender com pouco dinheiro? 

Quando se fala em pequenas franquias geralmente o capital necessário para compra da franquia é menor porque essas empresas podem adquirir o estilo home office, dessa forma, os custos de instalação e operação caem bastante.

No entanto, independente do custo, modalidade virtual ou física, quiosques, carrinhos ou mesmo lojas bem pequenas, elas funcionam da mesma forma. O investimento total da franquia envolve capital para instalação, taxa de franquia e capital de giro. 

Para se decidir em qual modalidade deve investir, você precisa pensar em que momento de vida se encontra e o que busca nos próximos anos. Também é importante ter em mente quanto tempo deseja se dedicar ao seu negócio, se será integral ou parcial. 

 Cuidados na hora de comprar uma franquia barata

Como qualquer outro empreendimento, uma franquia pequena exige uma dedicação grande para que os resultados esperados apareçam. Além de tudo é muito importante escolher um segmento que goste, já pensou… investir dinheiro e tempo em algo que não lhe agrade? 

As principais pequenas franquias para investir em 2021: 

-Franquias de alimentação, principalmente delivery, alimentação saudável e rápida;

-Franquias de saúde e cuidados pessoais, como limpeza, higienização, produtos de beleza e cosméticos;

-Franquias de serviços domésticos diversos;

-Franquias de atendimento online;

-Franquias de construção civil.

A MarketUP te ajuda no seu negócio 

A MarketUP Brasil é uma empresa atenta à realidade das PMEs brasileiras. Por isso mesmo, buscamos oferecer uma série de diferenciais para que o micro e pequeno empreendedor possa ter acesso a um Sistema de Gestão de ponta, conectado com as últimas novidades do mercado de ERP. 

Quando pensar em investir em uma franquia é necessário lembrar da organização. Nós oferecemos todos nossos recursos sem qualquer limitação de uso, licenças, custo para instalação ou qualquer outra taxa porque trabalhamos com um modelo de publicidade inteligente, ou seja, no seu sistema haverá áreas reservadas, que não atrapalharão seu uso, onde vincularemos anúncios publicitários de grandes empresas relacionadas ao seu segmento de atuação.

 

Redação MarketUP

Está na hora de expandir sua empresa?

Para expandir o negócio, é importante considerar a situação do país e do segmento

 

Boa parte dos donos de micro e pequenas empresas, independentemente do segmento de atuação, já se questionaram sobre a possibilidade de ampliar o negócio. A realidade é que não existe uma ciência exata para responder essa pergunta. Por isso, a questão deve ser acompanhada de outra forma, um pouco mais precisa: “Quais seriam as possíveis estratégias para expandir a minha empresa?”.

 

Grande parte dos ânimos no meio empresarial são regidos pelo desempenho de alguns indicadores macroeconômicos, como o PIB, inflação e taxa de juros. Obviamente, esses indicadores são extremamente relevantes e todos os empreendedores devem acompanhá-los de perto. Porém, vale a pena estudar indicadores que não são amplamente divulgados e que podem fazer mais sentido na avaliação de um determinado segmento.

 

Em 2018, como todos sabem, o crescimento do PIB foi pequeno. Caso trabalhe com bens de consumo, por exemplo, é possível fazer uma avaliação além do PIB total. Seria importante também analisar com mais cautela os custos e consumo das famílias. Entretanto, quando falamos de um negócio específico, torna-se mais interessante avaliar indicadores do mercado no qual esse negócio está inserido. Muitas vezes, esses indicadores são mais relevantes e têm maior relação com sucesso (ou insucesso) de uma empresa.

 

EXEMPLOS PRÁTICOS

 

Alguns modelos, claro, ajudam a elucidar esses pontos anteriores. O e-commerce, ou comércio eletrônico, cresceu 20% no último ano, de acordo com a e-bit. O faturamento do mercado de brinquedos apresentou um crescimento médio composto de 11,2% nos últimos 5 anos, mostra a ABRINQ. A Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres (ABIAD) é outro bom exemplo. O segmento de sucos e refrigerantes light/diet mostrou crescimento total de 800% nos últimos 10 anos até 2010.

 

Estes casos mostram, respectivamente, um canal de distribuição (e-commerce), um mercado (de brinquedos) e um segmento de mercado (bebidas light/diet). Essas avaliações e outras, como a de nichos de mercado, devem ser consideradas na hora de pensar em expansão. Afinal, negar um investimento devido à fragilidade do PIB e altos juros não contribui para o sucesso de nenhuma empresa.

 

UM SISTEMA EM ALTA

 

Voltando à segunda pergunta do início deste texto — a escolha de uma estratégia de expansão —, novamente vale uma avaliação das possíveis oportunidades e um exercício de imaginação. Uma das opções que tem se mostrado atraente é o sistema de franquias. Nele, aquele que expande sua marca não precisa gerenciar todas suas unidades e nem investir com capital próprio na abertura. A missão é transmitir o conhecimento de seu negócio e oferecer a sua marca para futuros franqueados. O franqueado, que normalmente está à frente do negócio, tem total interesse que ele dê certo. Isso porque ele investirá dinheiro, esforço, e costuma conhecer melhor a região na qual está abrindo o negócio.

 

Claro que isso não é certeza de sucesso ou de isenção de risco. Porém, expandir empresas via franquias é uma tendência em alta e com boas perspectivas de retorno. Nos últimos três anos, o faturamento do “franchising” cresceu, respectivamente,  20,4%, 16,9% e 16,2%. Estes dados foram publicados pela Associação Brasileira de Franquias (ABF).

 

O “franchising” engloba os mais tradicionais ramos do varejo e serviços, como vestuário, alimentação ou serviços de informática. Inclusive, recentemente foram criados modelos de franquia impensados até pouco tempo, caso de ramificações virtuais e de publicidade online. As oportunidades existem e, muitas vezes, elas estão ao seu alcance. Portanto, é preciso agir, fazer boas escolhas e montar um bom planejamento na hora de expandir a empresa.

 

VEJA MAIS

> As melhores tendências para a Páscoa em 2019

> Veja algumas dúvidas sobre a declaração do Imposto de Renda

> Como recrutar bons profissionais e acertar nas contratações

 

PME: conheça algumas formas de atrair investidores

Os tempos mudaram, até mesmo o PME pode conseguir investidores para expandir seu negócio

Antigamente, conhecer investidores e atraí-los para a ideia de seu negócio era uma tarefa árdua e concorrida deslealmente. Graças aos avanços de nossa economia, hoje até um PME tem a chance de atrair investidores para sua empresa. Seja para a expansão, ou abertura de uma filial.

Tudo começou com a Lei Complementar n° 155/2016, que buscar regulamentar o financiamento para micro e pequenas empresas. Desta forma, realidades que eram apenas de grandes negócios chegaram para as empresas de pequeno porte.

Aprenda agora a atrair investidores para a sua PME com estas X dicas:

1.Veja quem pode investir em seu negócio

Um investidor tem o capital para investir em uma empresa, aplicação, ou pessoa que terá o dever de lhe oferecer algum retorno financeiro. Você deverá escolher o seu investidor no meio de vários tipos deles: títulos públicos, dívidas públicas, imoveis, empreendimentos, startups, entre outros.

2.Verifique se sua empresa pode receber investimentos

De acordo com o governo, uma PME deve receber um investimento limitado de investidores, as microempresas têm a receita máxima anual de R$ 900 mil.

Já nas empresas de pequeno porte, devem ter o faturamento máximo de R$ 4,8 milhões. Se seu negócio se encaixa nestas faixas de faturamento, já pode começar a procurar um investidor.

3.Saiba que investimento não é receita

O capital investido pelo investidor-anjo não vai fazer parte do capital social da empresa considerado na Receita Federal. Desta forma, não ocorrerão tributos sob o valor investido na empresa. Além do mais, como não é considerado pela receita, a empresa não mudará do regime, por exemplo, no Simples Nacional.

4.Tenha uma boa ideia de negócio

Pense em um problema que um grupo de pessoas passa e descubra uma maneira, através de um produto ou serviço, de resolvê-lo. Pesquise outras empresas que oferecem serviços e produtos parecidos com os da sua ideia. para criar o seu diferencial de mercado.

5.Crie um protótipo

Mostre seu produto ou serviço através de uma apresentação. Se ainda não existe o produto elabora um protótipo. Desta forma você ganhará mais confiança dos investidores, que verão a materialização de sua ideia.

6.Persista

Nunca desista, principalmente ao ouvir uma resposta negativa, pode ocorrer de você ter que apresentar sua empresa várias vezes até que você conquiste a devida atenção do investidor.

Até mesmo empresas de sucesso precisaram persistir para conquistar investidores em seu início.

7.Pergunte a si se você investiria o seu próprio dinheiro

Se colocar no lugar do investidor é primordial para ser racional e conseguir um ponto de vista diferenciado. Não seja influenciado pela sua relação emocional com a empresa.  Verifique a possibilidade do seu negócio superar o fracasso, da forma que pensa um investidor;

8.Tenha um controle das finanças equilibrado

O equilíbrio de caixa, que determina os recebimentos e pagamentos, o capital de giro, que determina  se empresa tem dinheiro o suficiente para manter suas atividades e a politica dela. Estes são alguns fatores que determinam o histórico da empresa, que por sua vez sempre é estudado pelos investidores antes de qualquer aporte financeiro.

9.Avalie seu negócio

Contrate um especialista para esta difícil tarefa, seja um contador ou profissional de finanças. Existem muitas variáveis envolvidas no processo. E um agente externo da empresa na avaliação também dará mais credibilidade para estas informações.

10.Tenha um bom controle financeiro

A melhor forma de conseguir isso é usando a tecnologia ao seu favor, com um software de gestão como a MarketUP. Ele registra tudo automaticamente, com relatórios e bancos de dados prontos para serem consultados e usados em projeções futuras.

11.Veja plataformas para atrair investidores

Encontre investidores nas seguintes plataformas: Kria, StartMeUp e Eu Sócio. Estes são sites que valem a pena conferir, eles proporcionam um canal direto entre investidores e investidos, podendo haver vendas de participações de negócios.

Mercadinhos de Bairro em Crescimento Exigem Profissionalização

Os mercadinhos de bairro caíram no gosto do brasileiro. Unindo a praticidade necessária para os dias corridos de trabalho ou estudo, com a comodidade de estarem próximos à residência de seus clientes, os empórios, mercearias e os conhecidos mercados de vizinhança apresentaram excelentes índices de crescimento nos últimos anos.
A estabilidade econômica do país na atualidade, aliada as melhorias na renda da população são alguns dos fatores que tem favorecido os minimercados. Esse aumento nas vendas não se reflete apenas na região sul e sudeste do país. Só na cidade de Recife (capital de Pernambuco), o ramo de mercadinhos apresentou um crescimento de 8,5% no ano passado, dados superiores ao do crescimento médio geral do setor (em torno de 5% ao ano).
Mesmo com a forte competição dos hipermercados, que voltaram a apresentar aumento nas vendas, depois de alguns períodos de estagnação, os donos das pequenos varejos estão otimistas e confiam nos seus diferenciais: Atendimento personalizado, produtos que atendem a demanda de seu público consumidor, entre outros, para manter a ascensão do setor.

O desafio da profissionalização

Um dos grandes desafios para o ramo do pequeno varejo está na profissionalização. Alguns dados apresentados por uma pesquisa da GFK (empresa especializada em pesquisas de mercado) chamam a atenção, como, por exemplo: 30% dos empreendedores não sabem definir com exatidão o tamanho do estoque que possuem; 45% não calculam a porcentagem de quebras ou perdas e 55% não sabem informar a quantidade de clientes que fazem alguma compra no seu estabelecimento.
Esses dados nos demonstram que o setor pode ter um potencial de crescimento ainda maior caso utilize de maneira mais profissional informações que são essenciais para qualquer plano de expansão e cumprimento de metas. Além disso, um trabalho mais eficiente com o tipo de dados demonstrado na pesquisa da GFK fortalece as pequenas e médias empresas do varejo na hora de elaborar estratégias para competir com as grandes redes de hipermercados e com o mercado varejista de modo geral. Profissionalize sua empresa para manter-se atualizado as necessidades do seu segmento e para fortalecê-la em momentos de crise.

Utilize a tecnologia a seu favor

Uma boa, rápida e descomplicada maneira de profissionalizar o seu minimercado e pequena empresa do varejo, é com a utilização de um sistema de ERP – Sistema de gestão integrada. Com ele você vai poder ter acesso a todas as informações necessárias para uma boa gestão de seu negócio e poderá aumentar o seu lucro.
Controle o estoque de sua empresa, saiba quando repor produtos em falta, cadastre seus clientes, tenha acesso as informações de fluxo de caixa – e com o sistema de ERP MarketUP você tem todas essas ferramentas completamente gratuitas. O MarketUP te oferece ainda mais vantagens como o controle do PDV (Frente de caixa), sem limite de instalação ou quantidade de uso, e outras vantagens para diferentes tipos de negócio.

Para mais informações verifique o site marketup.com ou entre em contato com nossos canais de atendimento!

 
Por: João F. Barros