Últimas postagens

Ver todos

Catálogo no sistema MarketUP ajuda empreendedores a simplificar procedimentos

As vantagens de adotar o ERP em uma empresa é a simplificação dos procedimentos. O que antes levava mais tempo e exigia muitas vezes o trabalho integral de pessoas, agora pode ser automatizado com softwares que trabalham com inteligência e com menos riscos de erros. 

 

Além da economia de tempo e dinheiro, abre outras oportunidades para que a empresa continue buscando por mais inovações e consiga se posicionar como uma das melhores. No controle de informações dos produtos, não pode ser diferente. Com a MarketUP  você consegue gerenciar as informações dos seus produtos de maneira correta, entenda como:

 

Composição

Para você empreendedor que trabalha com a fabricação e produção de seus produtos, este recurso é ideal para você. Cadastre os insumos que você utiliza em seu estabelecimento e controle a movimentação destes componentes junto ao seu estoque.

Ao criar um produto composto, você indica quais componentes são usados para a produção desse produto, e suas devidas quantidades. E assim consegue ter todo o controle de seu estoque.

 

Fragmentação

Use este recurso para controlar corretamente um determinado insumo que se fragmenta em porções variadas, diminuindo as quantidades conforme as vendas realizadas.

Se por exemplo você possui uma loja de bolos e vende além do bolo inteiro a unidade, consiga registrar no sistema a quantidade vendida e o valor proporcional à unidade tendo maior controle no estoque de acordo com as saídas do produto.

 

Grade

Para você empreendedor que precisa organizar seus produtos e artigos de venda de acordo com as características específicas de cada grupo, este recurso pode te ajudar. Cadastre produtos e consiga especificar diversas variáveis de acordo com a necessidade de sua empresa.

 

Como por exemplo: tamanho, cores, sabores entre outros. Com este recurso você consegue ter a liberdade de oferecer diversos produtos e atender de maneira geral seus consumidores.

 

Redação MarketUP 

5 dicas para usar as redes sociais a favor do seu negócio

A necessidade das pequenas empresas de estarem nas redes sociais é cada vez mais importante. Com a advento da internet quem não se comunica através das plataformas digitais não são vistos. Uma pesquisa feita pelo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) também mostra que WhatsApp, Instagram e Facebook são as principais ferramentas de tecnologia dos pequenos empresários.

 

Com as restrições da pandemia, o número de negócios que optaram por utilizar a internet subiu de 59%, em maio, para 70%, no final de 2020. Mas utilizar as redes sociais a favor do seu negócio vai além de fazer post com ofertas, mostrar bastidores e valores da empresa.

 

Uma pesquisa mostra que ao humanizar sua linha do tempo nas redes atrai clientes, pois o público se interessa por quem está por trás das telas. Se faz importante postar com frequência, mas de forma cautelosa. A imagem e estética também fazem toda a diferença, é importante seguir um padrão, com uma paleta de cor, formatos e fontes sempre caprichando no visual.

 

Entenda mais em 5 passos que separamos para o seu negócio.

 

Investir em posts pagos, caso queira mais agilidade no crescimento do negócio. Esse tipo de ação ajuda a atingir seu público-alvo.

 

1-  Qual rede social inserir?

 

Os aplicativos mais utilizados no momento são WhatsApp, Instagram e Facebook. Essas redes sociais aproximam pessoas de suas vendas e serviços.

 

Linkedin, Youtube e TikTok são plataformas que auxiliam em alcance de público alvo, em grande medida os jovens.

 

2- Alcance dos posts :

Uma das medidas importantes é observar o alcance das suas publicações, assim saberá quais os pontos mais fortes e os pontos fracos do seu trabalho.

 

Por isso, ficar de olho em comentários, compartilhamentos e curtidas fará seu negócio avançar.

 

3- Quais conteúdos publicar?

 

Além das ofertas é necessário fazer um planejamento estratégico para atrair seu público. Postar apenas promoções não é o suficiente, utilize dos bastidores da produção, valores da empresa, responsabilidade social e entre outros…

 

4- Humanize e capriche em fotos e vídeos para o seu negócio:

 

Tornar sua empresa em uma garota-propaganda ou modelo pode ajudar a humanizar sua imagem com os clientes. Afinal, não existe uma regra sobre o quanto o empreendedor deve se expor.

 

Mas isso não significa que deve sair postando qualquer coisa, é importante cuidar das imagens e em como serão recebidas pelos seus clientes. Escolhendo um padrão de cores, uma marca visual. Além de fontes, formatos e para os vídeos tempo de duração.

 

5- Invista em postagens pagas

Caso deseje acelerar o processo de busca por seguidores, os posts patrocinados te levam a um alcance maior de pessoas. Existem opções de impulsionamento que custam R $10 reais ao dia, um investimento pequeno para grandes resultados.

 

Redação MarketUP

Minha Empresa é Familiar. E Agora?

Gerir esse tipo de negócio significa ter que lidar com as questões emocionais relacionadas à família e, ao mesmo tempo, com a racionalidade

Você não está sozinho! Segundo o IBGE, 90% dos empreendedores possuem uma empresa familiar. Há quem diga que poderiam ser ainda mais, não fosse a complexidade enfrentada por essas organizações entre as gerações.

Segundo a pesquisa Retratos de Família, da consultoria KPMG, realizada em 2015 com empresários, entre os principais pontos fortes de uma organização familiar estão a tomada de decisões rápida e flexível, o foco no core business e a visão de longo prazo.

Contudo, gerir uma empresa familiar significa ter que lidar com as questões emocionais relacionadas à família e, ao mesmo tempo, com a racionalidade da gestão de um negócio. Assim, segundo Stephen Robbins, um dos primeiros desafios do empreendedor desse tipo de empresa é diferenciar os interesses da família e os da empresa, buscando minimizar os conflitos entre família e negócio.

Portanto, se você está iniciando um negócio com alguém da sua família, dedique um tempo na definição dos papéis de cada um e em como farão a separação financeira do que deverá ser investimento no negócio e do que servirá de sustento para a família.

Outros pontos que podem ocorrer na fase inicial são o aprendizado com base em tentativa e erro, a dedicação extrema ao trabalho (implicando um possível afastamento da família) e uma certa centralização das decisões no fundador da empresa. Portanto, fique atento a esses aspectos.

Você poderá evitar todos esses problemas buscando uma maior qualificação em termos de gestão e planejamento. Além disso, é importante equilibrar a dedicação ao trabalho e à família, pois empresários também necessitam de ter qualidade de vida.

Por fim, busque a opinião de seus sócios e colaboradores antes de tomar uma decisão importante na sua empresa. Pesquisas mostram que uma gestão mais participativa gera mais comprometimento dos empregados.

Outros desafios

À medida que sua empresa vai avançando, outros desafios podem surgir. Seu negócio pode já estar maduro, mercado conquistado, papéis definidos, mas, por exemplo, como fazer quando surgem as próximas gerações? Para quem e como “passar o bastão”? Como saber se o sucessor tem perfil, competência e motivação para assumir o negócio? Como lidar com aqueles que não assumirão a empresa? E o fundador? Conseguirá abrir mão da sua posição para transmiti-la a outra pessoa?

Perguntas como essas são bastante complexas e normalmente precisarão ser respondidas muito antes deste momento acontecer. Planejar uma sucessão requer muito cuidado, maturidade, comunicação e planejamento. A revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios de maio de 2016 elenca as três melhores e as três piores práticas dos fundadores na hora da sucessão:

Os acertos

Dar início ao processo de sucessão bem antes de o fundador se ausentar.

Preparar o herdeiro desde cedo. Uma boa referência é preparar o sucessor para o mercado. Assim, ele estará também preparado para assumir a empresa da família.

Alinhar a nova geração com os valores e a cultura da empresa.

Os erros

Não abrir espaço para a entrada de novos talentos pelo medo de perder poder. Para trabalhar este tema, pense em como deverá estar a sua empresa nos próximos 30 anos.

Não estabelecer as regras desde o início para garantir a fluidez dos processos. Elas serão valiosas para diversas oportunidades.

Distribuir o mesmo valor a todos os herdeiros, independentemente da sua função e dedicação ao negócio. Como regra geral, o pagamento deve ser dividido entre pró-labore (proporcional ao trabalho do sócio na empresa) e distribuição de dividendos (proporcional à participação na sociedade).

Existe, portanto, uma série de fatores a serem considerados na gestão de uma empresa familiar. No geral, você poderá seguir a orientações dos especialistas em empresas familiares, autores do livro De geração para geração: o ciclo de vida das empresas familiares:

Trate a empresa como empresa, a família como família e a propriedade com respeito.

Tenha sempre em mente a natureza constante e inevitável das mudanças ligadas ao desenvolvimento.

Por: Sebrae 
Autoria: Carla Regina Nedel Rech, Gerente da Unidade de Pessoas do Sebrae Nacional

Como um Elogio no Facebook Mudou a Vida de um Pequeno Empresário Brasileiro

A história, que ganhou destaque nos noticiários, começou com o relato de um consumidor nas redes sociais. A loja instalada na região da Santa Ifigênia no centro de São Paulo, cujo nome é Rei do IPhone, viralizou nas redes sociais após prestar um bom atendimento.

Caio Rossoni andava pela região em busca de uma solução para um problema em seu aparelho celular. De acordo com ele, na primeira loja em que entrou, foi cobrado pelo serviço em 180 reais. Espantado com o preço, o consumidor decidiu pesquisar mais. Atravessou a rua e mostrou o celular para outro prestador de serviço, o Rei do iPhone.

O celular então foi analisado e teve a poeira do local com problema removida e entregue funcionando ao seu dono. Ao perguntar quanto custava o trabalho, o atendente disse que não era nada, lhe deu um cartão e apenas pediu que falasse bem da loja para os amigos.

Foi isso que o consumidor fez. O post no Facebook com a histórica rendeu a loja mais de 70 mil compartilhamentos e mais de 320 mil reações. O resultado, os vendedores precisam se revessar em atender e distribuir senha para os mais de 200 clientes que buscam a loja para consertar seus aparelhos.

Não é novidade dizer que as redes sociais promoveram grandes mudanças no relacionamento de clientes e empresas.

Por isso, vamos dar algumas dicas para estar em dia com seus clientes nas redes sociais.

1 – Respondam com imediatismo as mensagens, posts e comentários de clientes dando a eles a sensação de eficiência e agilidade.

2 – Responda tanto reclamações, quanto elogios e mostre que se preocupa com a imagem que seus clientes têm do seu negócio.

3 – Não tenha medo de se desculpar, afinal erros acontecem todos os dias dentro das mais diversas empresas.

4 – Educação e respeito. Mesmo que o cliente esteja exaltado, jamais o responda de forma mal educada ou grosseira.

5 – Use uma linguagem descontraída e solta, utilize diversos recursos como, por exemplo, emojis.

Por Ed Leandro