Últimas postagens

Ver todos

Os desafios de uma gestão de sucesso

Para se ter uma gestão de sucesso existem muitos desafios, é necessário enfrentá-los com bons propósitos para se dar bem

 

Trabalhar em equipe é uma competência essencial a todo bom profissional. Raros são os cargos que não envolvem o trabalho em conjunto. Agora, mais difícil que trabalhar em equipe é liderar pessoas. Essa é uma tarefa que exige talento, paciência e muita dedicação, são muitos desafios pelo caminho.

 

Muitos profissionais, com competência e esforço árduo, tornam-se gestores. Mas nem todos se tornam verdadeiros líderes. Esta é uma competência que não se aprende nas escolas ou faculdades, mas que é fundamental para o sucesso de uma equipe.

 

A gestão de uma empresa traz desafios variados, como: a constante busca por inovação, o aprimoramento contínuo do processo de trabalho e a pressão para alcançar resultados cada vez melhores. Mas arrisco dizer que um dos aspectos mais delicados é sempre a gestão de pessoas. Trabalhar com seres humanos é lidar com a diferença. É saber lidar com emoções, desejos e ambições.

 

Os jovens no mercado de trabalho

 

Os jovens profissionais do mercado de trabalho têm a necessidade de se sentirem continuamente desafiados para superarem suas próprias marcas. São jovens inquietos e que dificilmente ficam mais de dois anos no mesmo emprego.

 

Pesquisa realizada pela Page Personnel com jovens de 20 a 30 anos mostra que 78% dos entrevistados não permanecem na mesma empresa se, em 24 meses, não forem promovidos ou receberem algum aumento. Para eles, ficar este período realizando sempre as mesmas tarefas é estagnar na carreira, e tempo é algo que eles não desejam perder.

 

Nenhum gestor deseja trabalhar com altos índices de rotatividade. Conseguir preparar e manter uma equipe talentosa e satisfeita com seu trabalho é um desafio até mesmo para os grandes gestores.

 

Ser um desenvolvedor de pessoas

 

O principal talento de um bom líder é ser um desenvolvedor de pessoas. Este tipo de gestor, aliás, é que mais atrai profissionais de qualidade que estão interessados em aprender e motivados a melhorar ainda mais a sua carreira. Um bom desenvolvedor não trata seus funcionários como subordinados, e sim como companheiros de equipe.

 

Ele sabe os limites de cada profissional e procura incentivar seus pontos fortes. Comemora cada conquista do profissional e o recompensa sempre que possível. Cobra bons resultados, mas sem fazer “terrorismo”. Conhece a capacidade de cada um.

 

Saber delegar funções

 

Outra característica essencial ao líder é saber delegar funções. É muito comum ver pessoas competentes, que sabem realizar seu trabalho plenamente, mas que não são bem sucedidas no cargo de gestor. Este profissional precisa entender a diferença entre realizar uma ação e incentivar que a sua equipe a realize.

 

Um gestor não deve tomar todas as responsabilidades para si, pois assim ele fica sobrecarregado e impede seus funcionários de crescerem dentro da sua profissão. Os colaboradores, principalmente, os mais novos, não querem ser apenas executores e sim esperam autonomia e poder de decisão.

 

O gestor precisa convencê-lo a querer atingir as metas da empresa para qual ele trabalha. É preciso guiar os desejos profissionais para que trabalhe junto com a metodologia da organização.

 

Todo cargo que traz grandes responsabilidades pode acompanhar momentos de estresse. O trabalho sobre pressão pode acontecer por questões competitivas ou até mesmo de desorganização da empresa.

 

É importante que o gestor saiba dividir seu tempo entre a vida profissional e a pessoal. É necessário ter uma divisão clara disso para poder trabalhar com objetividade e conseguir ter o convívio social necessário com familiares e amigos.

 

Um gestor de sucesso também precisa estar em paz com o seu trabalho. O ideal é ter metas claras no seu plano de carreiras e entender qual o papel que a organização onde ele trabalha desempenha dentro deste plano.

 

Um profissional de sucesso é resultado de um equilíbrio entre habilidade, conhecimento e inteligência. Conseguir chegar ao cargo de gestor não é fácil, mas muitos já chegaram lá e muitos conseguirão ainda. Ser um verdadeiro líder, no entanto, é tarefa para poucos.

 

Por: Luiz. A. Castanha, diretor da élogos Brasil – empresa especializada em treinamentos

3 maneiras para a PME superar os concorrentes maiores

Por incrível que pareça as PMEs podem superar seus concorrentes maiores

A maioria de nós foi condicionada a pensar que quanto maior, melhor nos negócios. Empresas maiores significam mais recursos, funcionários e dinheiro para atrair clientes e dominar um determinado mercado. No entanto, isso não significa que as PMEs não podem ter um grande impacto em seu campo e superar os seus grandes concorrentes.

Na verdade, as empresas mais progressistas reconhecem sua posição em relação à concorrência e trabalham para usá-la em proveito próprio.

Para esse fim, aqui estão três maneiras pelas quais as PMEs podem pensar e superar suas contrapartes maiores:

1. Busque atrair os melhores talentos para sua empresa

As grandes empresas têm um fascínio por elas que naturalmente geram muito interesse de profissionais talentosos em seu campo. Ainda assim, isso não significa que as grandes corporações tenham o monopólio de funcionários de alto nível.

Em vez disso, as pequenas empresas mantêm um nível de apelo também. Muitos trabalhadores modernos não gostam da uniformidade e da atmosfera corporativa rígida que normalmente permeia as grandes empresas.

Como tal, você deve procurar recrutar pessoas talentosas que querem ser mais do que apenas uma engrenagem em uma máquina. Dê-lhes autonomia e deixe-os florescer. Poucas empresas de grande porte podem oferecer aos indivíduos capazes a liberdade de que precisam para produzir seu melhor trabalho – e profissionais brilhantes percebem isso!

2. Tenha um marketing preciso

As pequenas empresas precisam se concentrar mais no marketing digital e na publicidade do que seus rivais maiores por várias razões. Primeiro, uma empresa menor tem menos exposição do que uma maior e, portanto, precisa produzir conteúdo de marketing atraente para promover sua marca.

Em segundo lugar, as empresas menores têm margens apertadas e não podem se dar ao luxo de desperdiçar gastos com marketing em esforços ineficazes. E, por fim, como as pequenas empresas não conseguem (comparativamente) usar uma rede ampla, elas precisam ter anúncios e blogs focados em públicos específicos.

Com isso, queremos dizer que as pequenas empresas geralmente são mais bem servidas segmentando sub-mercados de nicho e palavras-chave de cauda longa em suas táticas de marketing on-line.

Portanto, em vez de tentar otimizar blogs ou anúncios de palavras-chave como “equipamentos de laboratório” ou “utensílios de cozinha”. Então, é mais sensato seguir uma terminologia mais específica, como “dicas para equipamentos de laboratório” ou “liquidificadores com jarros de vidro”.

Você pode ser capaz de obter tantos cliques ou curtidas com esse tipo de estratégia, mas os leads que você criar provavelmente serão mais qualificados como resultado.

3. Use sua flexibilidade

Leva uma eternidade para que a mudança ocorra em uma grande corporação. Níveis intricados de procedimentos burocráticos garantem que as grandes empresas sempre se esforcem para reagir a tendências e padrões.

Deixe seus clientes saberem que seu tamanho não é um prejuízo. Não é surpresa que as pequenas empresas e os pequenos empresários vivam na vanguarda da inovação. Abrace essa identidade e corra com ela!

Fonte: SmallBizViewPoints

PMEs: o campo de aprendizado ideal para uma gestão eficiente

Fonte: Thinkstock

Pequenas empresas são o ambiente ideal para que se aprenda a crescer no mundo dos negócios. Tendo que trabalhar com um montante geralmente menor de recursos – tanto financeiros, quanto humanos – os gestores de MPEs devem ter em mente que qualquer desperdício ou mau uso do capital empresarial pode implicar em sérios prejuízos, e, em casos drásticos, no encerramento de um empreendimento. Se o empresário souber lidar com esses cenários de escassez de recursos, em que muitas vezes será o responsável pela tomada de todas as decisões, ele possivelmente saberá lidar melhor com a gestão de recursos quando seu negócio estiver estabilizado no mercado.

Especialistas costumam concordar que um planejamento detalhado faz parte da essência de uma gestão eficiente. “É preciso calcular os passos de cada etapa e analisar o que se pretende alcançar com a empresa como um todo: os resultados dos negócios, o investimento em pessoas e um pensamento realista capaz de gerenciar com bases sólidas”, comenta, por exemplo, Jailson Martins de Almeida, Presidente do Conselho do Grupo Colleman, que atua em diversas áreas de negócio reestruturando empresas.

A estratégia para a uma administração competente envolve pensar com clareza todas as áreas de atuação: vendas, custos, clientes, estoque, etc. “É fundamental ter o pensamento estratégico sobre os negócios – que envolvem custos, captação em vendas, aumento da base de clientes, gestão de pessoas e estratégia competitiva”, afirma Almeida.

Em resumo: para que o sonho de seu negócio tenha prosperidade e se fortaleça em um mercado competitivo, é crucial não descuidar da gestão de seus recursos e tenha um plano estratégico que envolva todas as áreas do negócio e seja capaz de auxiliá-lo na hora de resolver situações-problema.

Por: João F. Barros

Fonte: Suyen Miranda