Últimas postagens

Ver todos

O que é a Indústria 4.0? Como ela pode impactar no seu negócio?

Conheça a nova revolução tecnológica e entenda o que ela significa para o mercado

 

O mundo está em constante desenvolvimento e o crescimento das tecnologias é um dos acontecimentos mais notáveis para isso. Se um dia a “prensa de Gutenberg” revolucionou a dinâmica para a cópia de livros e modificou mercados a partir do século 15, mais recentemente a internet quebrou outras barreiras físicas e conceituais. Atualmente, no século 21, presenciamos esse desenvolvimento tecnológico contínuo, período em que o termo “Indústria 4.0” é cada vez mais popular.

 

Também chamada de “Quarta Revolução Industrial”, a “Indústria 4.0” é, conceitualmente, a automação e uso da tecnologia da informação aplicadas aos processos de manufatura. Ou seja, é com o uso de ferramentas altamente tecnológicas que será possível tornar os processos produtivos cada vez mais eficientes e autônomos. E o resultado disso, em certa medida, já está acontecendo ao seu redor.

 

No dia a dia, por meio da “internet das coisas” — a interconexão digital de objetos comuns com a internet —, por exemplo, algumas tarefas tornam-se cada vez mais automáticas. Se antes, para usar a internet, era preciso ligar um computador, atualmente já é possível dar comandos para uma geladeira pesquisar algo enquanto você prepara seu café da manhã.

 

Porém, antes de entendermos como a “Indústria 4.0” impacta no mercado global e no seu negócio, é importante compreender as outras revoluções anteriores.

 

Primeira Revolução: Há pouco mais de dois séculos, na Europa, a “Indústria 1.0” teve seu início. O período ficou marcado pela substituição do trabalho artesanal pelo uso de máquinas. Essa mudança nas fábricas fez com que a produção aumentasse e os processos se tornassem mais automáticos. Como consequência, a quantidade de itens produzidos aumentou à medida que o maquinário era aperfeiçoado.

 

Segunda Revolução: Durante o século 19, algumas mudanças permitiram que acontecesse o que chamamos de Segunda Revolução. Além da grande produção possibilitada pela Primeira Revolução, já havia uma especialização do trabalho, com linhas de montagem e a busca pela diminuição do custo ao produzir. A indústria automobilística, muito forte hoje em dia, foi um dos espaços para o crescimento dessa segunda fase de produção em cadeia.

 

Terceira Revolução: O terceiro passo do desenvolvimento tecnológico começou a ser dado no século passado. Essa Revolução da indústria é caracterizada, entre outras coisas, pelo uso de diversas fontes de energia e crescimento em recursos da informática. As tarefas braçais foram diminuídas ainda mais e sistemas automatizados, como computadores, satélites e celulares, ganharam espaço.  

 

Indústria 4.0 - Saiba mais

 

CONSEQUÊNCIAS DA QUARTA MUDANÇA

 

Após três grandes marcos da produção industrial ao longo da história, o mercado global do século 21 também passa por mudanças. A virtualização de ferramentas e evolução da robótica faz com que os trabalhadores precisem cada vez mais de capacitação técnica e estejam em constante atualização. Além disso, tecnologias como o “big data” — estruturas de dados — trazem novas abordagens para as empresas e permitem um melhor gerenciamento das informações. Entretanto, o tema ainda é motivo de dúvida para muitos que têm uma empresa, principalmente devido à grande abrangência da tecnologia. Muitos empreendedores questionam: “como aplicar isso na minha empresa?”

 

RECURSOS POSSÍVEIS

 

Para quem deseja fazer uso de pilares básicos da “Indústria 4.0” no negócio, independente do tamanho do empreendimento, é preciso saber algumas funções possíveis.

 

Conectividade: A conectividade é um dos itens que compõem a “Indústria 4.0”, portanto, seu bom uso é necessário. Um exemplo de aplicação eficiente pode ser a conexão de sistemas diferentes aplicados ao maquinário utilizado no trabalho. Principalmente porque a “conversa entre equipamentos” gera dados importantes e essas informações podem ser transferidas ao ERP.

 

Perfil do cliente: Por meio do uso do “big data”, é possível compilar e processar informações úteis para seu segmento. É possível analisar desde o comportamento do público em alguns departamentos até o potencial de consumo de determinada faixa etária.

 

Prevenção de falhas: Com o uso de softwares, é possível prever e evitar falhas na gestão empresarial, seja no sistema de gerenciamento de vendas ou no site do seu negócio. Com uma manutenção preventiva bem feita, ganha-se nas tomadas de decisão e é possível mergulhar mais fundo na ideia da “Indústria 4.0”, um conceito — e prática — que não tem mais volta. O mundo continua se desenvolvendo cada vez mais, é preciso acompanhá-lo.    

 

POR: Rudiney Freitas

 

VEJA MAIS

> O que é gestão da inovação: tudo que você precisa saber

> As novas tecnologias que podem ajudar o seu negócio

> Como vender mais no Carnaval: 6 dicas para lucrar na folia

Por que toda pequena empresa precisa da Internet das Coisas

A Internet das Coisas, é uma rede de objetos físicos, veículos, prédios e outros que possuem tecnologia embarcada, sensores e conexão é como rede capaz de coletar e transmitir dados

É difícil imaginar um mundo sem a World Wide Web (www). E, no entanto, não tem nem 30 anos de idade. O que começou como uma plataforma que permitiria que humanos conversassem com humanos – de sites a e-mails e mídias sociais – cresceu rapidamente para incluir máquinas e objetos (também conhecidos como “coisas”) na conversa. A Internet das Coisas (IoT) é um termo para explicar a maneira como qualquer coisa não humana se conecta à internet.

As implicações deste desenvolvimento tecnológico são de grande alcance e já começaram a ter um impacto de grande alcance, incluindo as pequenas empresas.

O IoT está mudando a forma como fazemos negócios

À medida que mais objetos inanimados se tornarem capazes de interagir com o mundo ao seu redor, isso mudará fundamentalmente a forma como fazemos negócios. E isso já é. Como um artigo da Harvard Business Review aponta:

“… Em um mundo conectado, os produtos não são mais feitos um à um. Graças às atualizações, novos recursos e funcionalidades podem ser enviados ao cliente regularmente. A capacidade de rastrear produtos em uso torna possível responder ao comportamento do cliente. E, é claro, os produtos agora podem ser conectados a outros produtos, levando a novas análises e novos serviços para uma previsão mais eficaz, otimização de processos e experiências de atendimento ao cliente. ”

À medida que a Internet das Coisas cresce, as velhas formas de fazer negócios não funcionam. Mas as pequenas empresas já estão se adaptando. Por exemplo, uma loja de bicicletas de Houston começou a usar etiquetas eletrônicas para gerenciar digitalmente o inventário, simplificando seus negócios e reduzindo os custos de mão-de-obra. A Internet das Coisas terá impacto nas empresas no curto prazo e, cada vez mais, no longo prazo, por meio de:

  • Dados: Teremos mais dados exponencialmente em torno de nossos produtos, serviços e interações com clientes em todos os aspectos de nossos negócios.
  • Inventos e ativos: quanto mais soubermos sobre nosso inventário e nossos ativos, mais poderemos fornecer produção, manutenção e atendimento mais eficientes.
  • Pessoal: A IoT introduz escritórios automatizados, atendimento ao cliente e gerenciamento de recursos. Isso terá inevitavelmente impacto na forma como alocamos recursos humanos.
  • Expectativas do cliente: os clientes esperam que você saiba que seu produto falhou antes deles. E eles esperam que você já esteja trabalhando em um remédio antes de entrar em contato com você. Confira os reparos pelo ar da Tesla se você não acredita em mim.

Mais eficiência no escritório

Projetado para tornar os espaços de vida e trabalho mais eficientes, vários produtos de consumo conectados à IoT já chegaram ao mercado, o que significa que você pode dar ao seu escritório (ou à sua casa) um elevador de tecnologia agora.

  • Termostato inteligente (Nest): O termostato é, logicamente, o ponto central para o uso de energia em casa. Então, o Nest usa isso como um ponto de entrada para uma casa ou escritório totalmente automatizado. O termostato Nest pode melhorar a eficiência de aquecimento e resfriamento, mas vai além, incluindo um sofisticado sistema de segurança, detecção de fumaça e muito mais. Ele também é projetado para integrar-se a lâmpadas inteligentes, aparelhos conectados e muito mais.
  • Lâmpadas inteligentes: as lâmpadas inteligentes são indicadores do que os dispositivos conectados podem alcançar. Eles não apenas adicionam eficiência, mas fornecem um tipo de experiência inteiramente novo no espaço de trabalho. Eles podem mudar de cor para refletir seu humor, o clima ou sua marca; eles podem adaptar automaticamente o brilho e o uso de energia para obter eficiência máxima e podem ser ajustados remotamente por meio de aplicativos.

Fonte: Ben Snedeker em Infusionsoft