Últimas postagens

Ver todos

O que os brasileiros mais buscaram no Google

Estamos vivendo há três meses um cenário totalmente diferente com a chegada do novo coronavírus. As pessoas e as empresas precisaram se adaptar à nova realidade e à transformação digital. 

Com o isolamento social e a maioria dos comércios fechados, as pessoas começaram a usar cada vez mais a tecnologia para suprir suas necessidades.

O comportamento dos consumidores precisou ser alterado devido à quarentena. Por isso, os brasileiros aumentaram suas compras online e passaram a usar mais os meios digitais de pagamentos

Segundo dados do Facebook, que é o dono tanto do Instagram quanto do WhatsApp, a digitalização do consumo foi acelerada pela pandemia. Com isso, 46% dos consumidores substituiram a compra física pela online até para itens vendidos em locais que continuam funcionando, como supermercados. 

Rapidamente, as pessoas começaram a usar as ferramentas digitais, pois o risco de contaminação ao sair nas ruas ainda é alto. 

Não só os consumidores, mas as empresas também precisaram se adaptar a este novo cenário com a pandemia do coronavírus.

Números da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) mostram que, desde o início da pandemia, 107 mil lojas aderiram à venda online de seus produtos, o que fez o número desse tipo de negócio quase dobrar no período, passando de 135 mil lojas ativas para 242 mil. Antes da pandemia, a média de crescimento era de 10 mil novas lojas por mês.

Ou seja, os negócios tiveram que passar por uma transformação digital para continuar ativos no mercado.

Mas, o que as pessoas estão procurando? 

É interessante analisar este cenário de transformação, pois podemos observar uma mudança significativa dos hábitos de consumo dos brasileiros.

Os setores que mais se sobressaíram neste período foram os de Moda, Alimentos e Serviços. O e-commerce como um todo registrou mais de 50% de crescimento entre março e maio, após o início da pandemia.

Além destes setores, outros também se destacaram como: Esporte, Lazer, Brinquedos e Games.

A necessidade dos consumidores mudaram e com o isolamento social, as pessoas começaram a buscar itens para realizar atividades físicas, produtos de lazer como jogos para se entreter, além de brinquedos para as crianças que seguem em casa junto de seus pais.

Alguns produtos específicos tiveram maior aumento de buscas no Google no Brasil durante este período de distanciamento social por causa do novo coronavírus como:

  • Chinelos;
  • Pantufas;
  • Pijamas;
  • Tablets;
  • Webcams,
  • Vasos;
  • Máquinas de pão.

Isso mostra que as pessoas estão comprando itens para aumentar o conforto e o bem-estar dentro de casa. Além de preencher o tempo com atividades de lazer.

Ao analisar esses produtos, você, empreendedor, enxergar algumas oportunidades de negócios para o seu estabelecimento.  

A venda pela internet

O isolamento social trouxe impactos para o varejo. Porém aquelas empresas que conseguiram acelerar a transformação digital, não terão suas vendas tão prejudicadas.

De acordo com o Compre&Confie, o e-commerce brasileiro faturou R$ 9,4 bilhões em abril de 2020, aumento de 81% em relação ao mesmo período do ano passado.

Ainda de acordo com a companhia, a alta reflete principalmente o crescimento no número de pedidos realizados durante o mês. Ao todo, foram 24,5 milhões de compras online, aumento de 98% em relação a abril de 2019.

Ou seja, este momento é a oportunidade para as empresas entrarem de vez no mundo digital e, assim, continuar atendendo seu público.

A MarketUP possui várias alternativas para os pequenos negócios neste momento de crise, como: vendas online através da loja virtual, ferramenta de delivery, vendas através do nosso Marketplace, divulgação do estabelecimento em um site para ajudar os micro e pequenos empreendedores: compre do pequeno negócio e muito mais.

Dicas para os empreendedores

Este é um momento novo para todos nós. Porém ao abrir um negócio é importante que o empreendedor esteja preparado para as adversidades que possam ocorrer. 

Muitos empreendedores não tinham pretensão de vender através da internet e precisa se adaptar a este “novo normal”.

Por isso, separamos algumas dicas para ajudar você neste momento.

 

  1. Use as redes sociais: As pessoas passam hoje a maior parte do tempo conectadas nas redes, por isso use essas plataformas para divulgar o seu negócio. Como o digital tornou-se tendência em tempos de coronavírus, pode ser uma boa alternativa para este momento. O Instagram é uma ótima ferramenta para expor seus produtos através de imagens e vídeos. Já o WhatsApp, é um canal que você pode estreitar o relacionamento com o seu cliente.

 

 

  • Plataformas gratuitas: Devido ao cenário econômico, investir em tecnologias de alto valor pode não ser uma opção viável para muitos empreendedores. Por isso, a MarketUP que sempre pensou nos pequenos negócios disponibiliza uma loja virtual 100% gratuita para que os pequenos negócios possam vender seus produtos de maneira online.

  • Aposte no delivery: Veja qual a melhor alternativa para realizar as  entregas dos seus produtos. Analise a possibilidade de contratar alguns motoboys, contar com empresas terceirizadas para fazer suas entregas ou até se cadastrar em algum aplicativo de entrega. O sistema de delivery passou a ser muito utilizado em tempos de coronavírus. Então, por que não pensar nesta modalidade?

 

 

Quer saber mais sobre o assunto? Ouça o nosso podcast sobre:

 O que mudou no comportamento do cliente na internet com a pandemia?

 

POR: TAINÁ ALMEIDA

 

Marketing digital: novas tendências de vendas

Muitos negócios foram pegos de surpresa com a pandemia do coronavírus. E começaram a se perguntar: E agora? O que eu devo fazer com meu estabelecimento fechado?
Não estou na internet. Não faço delivery. E agora?
A crise chegou para todos. Porém, ela veio ainda mais forte para os empreendedores que estão fora da internet. Sem presença em redes sociais, sem site e sem estrutura para delivery.  É aí que entra o Marketing Digital.

O Marketing Digital são ações de comunicação e vendas que todas as empresas podem fazer.

A crise causada pelo novo coronavírus surgiu como um empurrão para as empresas que ainda mantinham seus negócios apenas no mundo off-line.

Agora, muitas estão passando pela transformação digital para continuar se mantendo no mercado. 

Engana-se aqueles que acreditam que Marketing Digital é apenas voltado para as redes sociais. Existem inúmeras estratégias de Marketing que os pequenos negócios podem começar a fazer para se adaptar neste momento.

Começando pela transformação digital. O pacote site mais rede social é o básico. Procure ajuda de especialistas e pesquise sobre o assunto. Faça cursos online, inclusive, alguns estão sendo disponibilizados gratuitamente neste período). É preciso entrar para o mundo do marketing digital. 

O País já é o sétimo mercado do mundo em Marketing Digital e deve fechar o ano movimentando algo perto de US$ 18 bilhões nessas plataformas, mesmo com o impacto da pandemia de Covid-19.

Hoje, migrar suas operações para o mundo virtual, é algo crucial para a sobrevivência das empresas, é a melhor alternativa que temos para manter as vendas ativas.

Mas, como começar a investir em Marketing Digital? Muitos, ainda possuem dúvidas de como fazer isso. Por isso, vamos explicar neste artigo.

Como implementar Marketing Digital em minha empresa?

Se você ainda não estava inserido no ambiente online, fique tranquilo que vamos te ajudar. O primeiro passo é começar, para assim ir construindo estratégias e comunicações eficazes para atingir os seus objetivos.

Iniciar com um site e campanhas de publicidades são ações básicas para começar no meio digital.

As redes sociais também são plataformas complementares para suas estratégias de Marketing Digital.

Não use esses canais somente para propaganda ou comunicação. Mas sim, para fazer transações e vendas.

Até 2023, mais de 50% dos orçamentos em publicidade devem ser alocados para o ambiente online. Então, podemos afirmar que cada vez menos iremos investir em Marketing offline como: panfletos, mala direta, cartazes etc.

Além dessas estratégias citadas, podemos colocar ainda outras plataformas de Marketing Digital que podem contribuir neste momento de crise como: Campanhas no Google, Google, Negócios, Loja Virtual, Delivery e muito mais.

Vamos a seguir falar um pouco mais das estratégias de Marketing que pode te ajudar.

Estratégias de Marketing Digital

Existem inúmeras maneiras de aplicar Marketing Digital em sua empresa. Veja a seguir qual é a melhor estratégia para o seu negócio.

GOOGLE MEU NEGÓCIO

O Google Meu Negócio é uma ferramenta gratuita que possibilita que seus clientes encontrem a sua empresa com mais facilidade no Google, através de pesquisas e no Maps.

Com o isolamento social, as pessoas estão usando ainda mais o Google para encontrar empresas, produtos e/ou serviços que desejam. Então, aproveite este momento para “pegar carona” nessa nova tendência.

Coloque informações como seu horário de funcionamento, site e endereço. Além disso, interaja com seus clientes, responda os comentários, poste fotos que mostrem seu produto ou serviço e faça sua presença digital nesta plataforma.

CAMPANHAS NO GOOGLE

Anunciar na internet permite investimentos baixos para pequenos negócios e comércio local, ao contrário de outros investimentos em mídias como rádio e televisão. E o melhor de tudo, o anunciante só paga quando um usuário de fato se interessa pelo seu anúncio.

Invista em Google Ads (plataforma de anúncios do Google) e consiga alcançar seus clientes através de anúncios e palavras chaves. Você pode também investir no Google Shopping, uma outra ferramenta de anúncios, na qual seus produtos aparecem no topo da lista de busca. Basta criar uma conta no Google Merchant e fornecer ao Google informações de seus produtos.

A MarketUP a fim de ajudar os pequenos negócios, firmou uma parceria com o Google e os usuários de sua plataforma conseguem criar anúncios de um jeito simples, fácil e sem sair da plataforma. 

Para saber mais sobre essa parceria, crie sua conta e comece a utilizar os serviços gratuitos da MarketUP.


LOJA VIRTUAL

Uma ferramenta que está bastante em alta neste momento são as plataformas online de vendas – as lojas virtuais. Como uma das alternativas para continuar operando neste momento de crise, os pequenos negócios começaram a utilizar cada vez mais essa ferramenta. O e-commerce já vêm mostrando um crescimento nas vendas, por isso empreendedor investir nessa estratégia pode ser uma saída para continuar vendendo nesta crise.
No sistema integrado de gestão empresarial, você, empreendedor consegue criar a sua própria loja virtual, de forma simples, prática e gratuita.

DELIVERY

É outra ferramenta que vêm sendo muito utilizada após a pandemia de COVID-19. O cenário em que estamos também mostra que o comportamento do consumidor vem se transformando. Antes, era comum apenas usarmos esses serviços para alimentação, porém devido aos fechamentos dos estabelecimentos, o delivery está sendo usado para diversas necessidades. 

Você pode incluir seu próprio serviço de entregas e contar com o sistema de gestão integrado MarketUP para te auxiliar com essa funcionalidade.

Ou usar serviços de terceiros, como Rappi, Ifood, Loggi e usar a plataforma da MarketUP para cadastrar esses pedidos e fazer a gestão dessas vendas.

Quer saber mais sobre Marketing Digital? Acesse nosso podcast.

 

POR: Tainá Almeida

Romero Rodrigues: de fundador do Buscapé a investidor da MarketUP

Conheça a trajetória de sucesso de Romero Rodrigues, um dos principais nomes do mercado de tecnologia e internet do país

Se você acompanha nosso Instagram, deve ter visto que, na última semana, o time da MarketUP teve uma palestra com Romero Rodrigues. Para quem está por dentro das principais notícias sobre negócios do país, o nome não deve soar estranho. Trata-se do cofundador do site de pesquisa de produtos e preços BuscaPé, lançado em 1999. Não acaba aí: Rodrigues é investidor da MarketUP.

Antes de tudo isso, Romero estudava da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). Durante a graduação, conheceu seus futuros sócios: Ronaldo Takahashi e Rodrigo Borges. A ideia para o que viria a se tornar o BuscaPé nasceu quase “por acidente”: Rodrigo buscava informações sobre uma impressora na internet, sem sucesso. O grupo percebeu que disponibilizar informações sobre produtos online tinha um grande potencial para um negócio.

Para iniciar o negócio, cada sócio investiu R$ 100 mensais para despesas, compra de equipamentos e desenvolvimento. O trabalho duro viria a mostrar resultados em 2001, quando grandes varejistas começaram a pagar para terem destaque nos resultados das buscas. Quando uma empresa ameaçou processar o site, primeiro caso ela aparecesse entre os resultados de busca, depois caso ela não aparecesse – suas vendas haviam caído -, os sócios souberam que estavam no caminho certo.

Em 2005, um grande investimento na empresa permitiu que o BuscaPé se tornasse o maior site de comparação de preços da América Latina. Não muito tempo depois, escritórios do site foram abertos no México, na Argentina, no Chile e na Colômbia. Em 2009, a Naspers Limited, um grande conglomerado de mídia da África do Sul comprou 91% da empresa pelo valor de US$ 342 milhões. Mesmo depois da venda milionária, Romero continuou na cadeira da presidência.

Em 2015, quando deixou a presidência da empresa que havia criado, Romero tornou-se sócio do fundo de venture capital Redpoint eventures. Atuante no Brasil desde 2012, a Redpoint tem em seu portfólio startups como Creditas, Gympass e PSafe. A nova missão do empreendedor, então, era usar sua própria experiência para ajudar a identificar e selecionar boas oportunidades para novos investimentos.

Mas seu principal objetivo na nova fase profissional era apoiar empreendedores a acelerar o crescimento de suas empresas. “A vivência como empreendedor que colocou argamassa em cada tijolo para começar sua lojinha, foi o veículo catalisador que me levou a pensar em qual seria meu próximo passo na Internet brasileira e global. Agora, nas vestes de investidor, me sinto pronto para ajudar novos bandeirantes em suas cruzadas pelas trilhas digitais”, escreveu no LinkedIn.

Quando Carlos Azevedo apresentou sua ideia de criar um sistema de gestão completo e gratuito para pequenas empresas, Romero não pensou duas vezes: investiu. Juntaram-se a ele outros astros da tecnologia: Hélio Rotenberg, presidente do Grupo Positivo, e Alexandre Hohagen, ex-vice-presidente para a América Latina de dois gigantes do Vale do Silício: Google e Facebook. Nascia, então, a MarketUP.

Por: Luis Carvalho

Case de Sucesso: Netflix, de locadora a maior streaming do mundo

Conheça a história dos fundadores na Netflix, fundada em 1997, para torná-la o serviço de streaming que conhecemos hoje

Ao contrário do que muita gente pode pensar, a Netflix não é uma empresa tão nova no mercado. Afinal, antes de mudar a forma como consumimos conteúdo na Internet, a Netflix era uma simples locadora. 

Fundada em 1997 por Reed Hastings e Marc Randolph, a empresa possibilitava alugar filmes sem precisar sair de casa. Porém, tudo mudou quando a Internet se popularizou e apresentou uma nova oportunidade de crescimento.

Neste artigo, vamos apresentar um pouco mais sobre o caminho para o sucesso trilhado pela Netflix. Vamos lá?

Junte-se a mais de 100.000 empresas.Comece agora a utilizar o sistema ERP MarketUP 100% gratuito.

O COMEÇO DA NETFLIX

case-de-sucesso-netflix (2)-min

Ao contrário do que muitos pensam, a Netflix já está há 20 anos no mercado, mas o formato de trabalho foi se modificando com o passar dos anos. A empresa foi originalmente fundada apenas como um serviço online de locação de filmes. 

Um ano após a criação da empresa, em 1998, a Amazon tentou comprar a Netflix pelo valor e 12 milhões de dólares. A negociação, porém, não deu em nada e hoje as duas empresas são as principais concorrentes atuais no streaming.

Um ano depois, eles lançaram o site Netflix por meio do qual era possível solicitar DVDs que chegavam por correio à residência das pessoas. O usuário poderia acessar o site, encomendar filmes e os DVDs eram entregues pelo correio. O pagamento era feito por cada título alugado. Uma espécie de delivery

Com o passar dos anos e sempre evoluindo junto com o mercado, a empresa em 1999 apostou em serviço de assinatura mensal, ou seja, o cliente podia fazer a locação ilimitada de DVDs, à medida que devolvia os títulos pelo correio, a empresa enviava outros.

Percebendo o potencial de sua ideia, a dupla de empreendedores tentou vendê-la para a rede de locadoras Blockbuster. No entanto, os executivos da Blockbuster não acreditaram na ideia. Dez anos depois, a Blockbuster declararia falência, enquanto a Netflix despontava como uma das empresas de maior sucesso mundial.

NETFLIX NO CAMINHO DO SUCESSO

case-de-sucesso-netflix (3)-min

Em 2007, o modelo de streaming começou a ser utilizado em conjunto com aluguel de DVDs. Na época, os assinantes de um plano de US$ 16,99, por exemplo, poderiam assistir a até 17 horas de vídeo. 

Seis meses depois, as visualizações de seriados e filmes pela plataforma online da empresa chegaram à marca de 10 milhões. Mas, em 2011, a Netflix resolveu ser totalmente online e por streaming.

A produção de conteúdo original para o serviço de streaming teve início em 2013, com a estreia do seriado House of Cards. O sucesso foi tão grande que no mesmo ano a empresa lançou outras duas séries: Hemlock Grove e Orange is the New Black. 

House of Cards venceu o Emmy de Melhor Direção em Série Dramática, em 2013. A série tornou-se a primeira websérie a ganhar um troféu na maior premiação da televisão dos EUA.

No início de 2016, a Netflix conquistou a marca de 75 milhões de assinantes e chegou a quase todos os países. Com exceção de China, Coreia do Norte, Crimeia (região da Ucrânia) e Síria. Isso acontece devido às restrições impostas pelo governo dos EUA a empresas norte-americanas. 

Hoje, o serviço está presente em mais de 190 os países.

Por: Luis Carvalho

Junte-se a mais de 100.000 empresas.Comece agora a utilizar o sistema ERP MarketUP 100% gratuito.

Certificado digital: quem precisa e para que serve?

Quem empreende precisa ficar atento ao certificado digital e saber se é necessário tê-lo no negócio

A tecnologia está se desenvolvendo exponencialmente ao longo dos últimos anos, em especial no mundo dos negócios. Com origens e plataformas distintas, os recursos digitais dão mais eficiência, comodidade e segurança a quem tem uma empresa. Esta última consequência tecnológica, essencial para a prosperidade de um negócio, é cada vez mais requerida por quem empreende. Afinal, há muito tempo a segurança comercial não é mais vista como ferramenta apenas de grandes corporações. Os pequenos empreendimentos também estão investindo com seriedade nesse importante pilar corporativo, muitas vezes, por meio de um certificado digital.

Junte-se a mais de 100.000 empresas.Comece agora a utilizar o sistema ERP MarketUP 100% gratuito.

Entretanto, há MEIs que ainda não conhecem — ou não entendem — o que é um certificado digital, suas vantagens e obrigatoriedade. Por isso, respondemos abaixo algumas dúvidas sobre o recurso que surgiu para dar aos empreendedores mais comodidade e, principalmente, segurança.

O QUE É CERTIFICADO DIGITAL?

certificado-digital

Quem acessa sites na internet deseja estar navegando em um ambiente bem seguro. No envio de documentos e transações de uma empresa, por exemplo, isso também não deve ser diferente. Por isso surgiram os certificados digitais, assinaturas eletrônicas que utilizam criptografia para confirmação de identidade. A assinatura digital de uma empresa, de validade jurídica, será responsável por autenticar que as partes envolvidas em uma ação são realmente quem elas dizem ser. Ou seja, o certificado digital dá mais proteção às transações realizadas entre empresas em ambiente online, por exemplo.

A autenticação, que pode ser acessada posteriormente pelo empreendedor, é tida como um dos mais modernos avanços tecnológicos para empresas. Afinal, todo dono do próprio negócio quer autenticidade e segurança nos trâmites de seu empreendimento.

PARA QUE SERVE O CERTIFICADO DIGITAL?

certificado-digital-para-que-serve

A assinatura digital traz inúmeras vantagens para os empresários, muito além de maior segurança — abordada anteriormente. Isso porque os certificados digitais foram criados também para facilitar a vida de empreendedores e otimizar o tempo nas tarefas. Idas ao banco e entrega de documentos, que muitas vezes eram seguras apenas presencialmente, são possíveis com as assinaturas digitais. Entre outras funções positivas do certificado, estão: envio de declarações, logins seguros, redução burocrática e maior privacidade.

Junte-se a mais de 100.000 empresas.Comece agora a utilizar o sistema ERP MarketUP 100% gratuito.

QUEM PRECISA DE CERTIFICADO DIGITAL?

certificado-digital-gratuito

Esse tipo de autenticação pode ser adquirida por empreendedores que desejam ter mais segurança nos procedimentos adotados por sua companhia. Entretanto, o certificado digital é obrigatório em alguns casos. Entre eles, empresas inscritas no regime tributário de lucro real ou lucro presumido — portanto, que emitem nota fiscal eletrônica.

O microempreendedor individual, via de regra, não é obrigado a ter a certificação (exceto caso ele emita NFe, a depender das regras de cada estado e município).

COMO ADQUIRIR UM CERTIFICADO?

certificado-digital-mei

O dono do próprio negócio que deseja mais segurança adquire uma autenticação digital por meio de uma Autoridade Certificadora (AC). Ela é oficializada pelo Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, que exibe as opções disponíveis para certificação. Depois que a AC é escolhida, é necessário realizar outros procedimentos, como a entrega de alguns documentos presencialmente. Após minuciosamente analisada, a documentação pode ser validada pela responsável e o certificado digital então é concedido ao empreendedor.

Junte-se a mais de 100.000 empresas.Comece agora a utilizar o sistema ERP MarketUP 100% gratuito.

Por: Rudiney Freitas

VEJA MAIS

5 dicas para sua empresa aparecer na primeira página do Google

Entenda a importância de seu negócio estar presente na Internet e aprenda como melhorar seu posicionamento nas ferramentas de busca

 

Não existe dúvida de que estar presente na Internet pode fazer toda a diferença para o seu negócio. Afinal, é nela que consumidores do mundo todo buscam pelos produtos que desejam comprar ou serviços que querem contratar. Hoje, são pouquíssimas as empresas que não possuem um site, blog ou loja virtual onde mantém contato com clientes. Basta apenas procurar algumas poucas palavras-chave no Google, principal ferramenta de buscas atualmente, para encontrar qualquer coisa.

 

Mas, no cenário competitivo da Internet, outro desafio se apresenta: como aparecer na primeira página de resultados do Google? Essa é uma dúvida que qualquer pessoa que trabalha ativamente com a Internet possui, mas que poucos sabem responder. Afinal, estar bem posicionado nos resultados de busca do Google é uma vantagem enorme contra concorrentes. Quanto mais perto do topo da primeira página você estiver, maiores são as chances de possíveis clientes escolherem você.

 

Mas, para alcançar esse objetivo, é necessário saber como trabalhar na Internet.

 

Para ajudar você a posicionar o site de sua empresa na primeira página do Google, separamos as dicas a seguir.

 

UTILIZE O SEO PARA OTIMIZAR O SITE

 

Para ganhar destaque na Internet, não é suficiente apenas montar um site, é preciso otimizá-lo. Isso significa reunir todas as características que o Google costuma valorizar para o ranqueamento. Chamamos isso de SEO (sigla para otimização para motores de busca, em inglês). Quanto mais equipado seu site estiver com palavras-chave e  links, mais preparado para aparecer nas buscas orgânicas ele estará. Ou seja, você não precisará pagar anúncios online para que sua empresa apareça para os usuários entre os resultados. E isso atrai mais clientes para você.

 

PRODUZA CONTEÚDO DE QUALIDADE

 

É muito comum que as empresas que desejam conquistar um posicionamento melhor na Internet invistam em conteúdo. Essa é uma maneira de tornar a empresa reconhecida como autoridade em um determinado assunto, seja ele qual for. Quanto melhor o conteúdo produzido, maiores são as chances de conquistar um público fiel e convertê-los em clientes. Se você possui um site que oferece serviços, por exemplo, a melhor maneira de atrair clientes é escrever sobre eles.

 

INVISTA EM UM BOM ‘LINK BUILDING’

 

Uma das práticas mais valorizadas para melhorar o ranqueamento do site de sua empresa no Google é o link building. Ela consiste basicamente em outros sites apontando para o seu por meio de links em conteúdos próprios. Quanto mais sites confiáveis estiverem linkados com o seu, maiores suas chances de aparecer na primeira página do Google. Existe a opção de pagar para que outros sites utilizem seu link. Isso porque pode ser difícil encontrar outros sites que queiram utilizar esses links apenas por boa vontade. É um investimento que vale muito a pena.

 

USE AS REDES SOCIAIS DA EMPRESA

 

Pode até não parecer, mas as redes sociais da sua empresa têm ligação direta com o ranqueamento de seu site. Quanto mais seu conteúdo for compartilhado e comentado em redes sociais como Facebook e Instagram, maior credibilidade o site terá. Uma dica de ouro para você é utilizar botões de compartilhamento e curtida em seus conteúdos. Dessa forma, um usuário pode compartilhar seu site em suas próprias redes sociais gratuitamente. Com o tempo, você terá uma legião maciça de usuários que acessam seu site diariamente e compartilham seus conteúdos.

 

DEIXE O SITE SEGURO PARA USUÁRIOS

 

Por fim, seu site deve ser 100% seguro para que os usuários possam navegar sem problemas. Então, invista em todas as medidas necessárias para que os dados de seus usuários estejam seguros. Para isso, seu site irá precisar de um certificado SSL, criptografa as informações inseridas pelos usuários. Se seu site não possuir esse certificado, o Google irá alertar os usuários, que podem desistir de acessá-lo.

 

POR: Luis Carvalho

 

LEIA TAMBÉM

> Coworking: como saber se é a melhor ideia para sua startup?
> 5 dicas para recrutar bons funcionários e acertar nas contratações
> Tecnologia em seu estabelecimento: Dicas para atrair mais clientes

 

5 Dicas para manter um bom relacionamento com os clientes

É importante entender o valor das plataformas digitais no trato com os clientes

Administrar as redes sociais de uma marca não é tarefa fácil. Além de postar conteúdo de qualidade, que seja capaz de gerar engajamento e atingir o público certo, ainda é preciso saber lidar com as críticas sobre o negócio. Nessa hora, muita gente entra em pânico. Afinal, nem sempre há um preparo para manter o bom relacionamento com os clientes nas redes sociais.

Um bar de São Paulo, por exemplo, repercutiu mal recentemente após uma cliente reclamar do estabelecimento nas plataformas digitais. Entretanto, a forma como o bar lidou com o problema foi ruim e ele acabou recebendo críticas pelo tom das respostas. Casos desse tipo podem servir de exemplo para os empreendedores que desejam aprender a lidar com crises como essa.

Por nisso, separamos dicas para não errar e garantir um bom relacionamento com os clientes nas redes sociais; confira.

IMPORTÂNCIA DE OUVIR

Tão importante quanto ter um bom comércio é ter um excelente pós-venda. É isso que pode fidelizar um cliente em uma empresa e fazê-lo voltar a manter relações comerciais novamente. Atualmente, é comum que clientes procurem as redes sociais da empresa antes mesmo de procurar canais como o SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor). Por isso, é fundamental ter alguém responsável por checar mensagens, comentários dos clientes e engajamento nas redes sociais. Afinal, não adianta muito ter um perfil na internet e não manter um bom relacionamento com os clientes.

ATENÇÃO AO CONTEÚDO

Os clientes seguem uma marca, produto ou serviço em busca de novidades, conteúdos e novas experiências. Por isso, as empresas precisam manter uma linha de relacionamento na qual a comunicação seja uma via de mão dupla. E isso se faz alimentando as redes sociais com conteúdos relevantes e diversificados. É importante não fazer da página apenas um canal de vendas, em que a empresa só expressa o desejo de comercializar.

PRESENÇA NAS REDES

De acordo com dados do Ministério da Comunicação de 2015, já há mais de 130 milhões de usuários com acesso à internet móvel no Brasil. Ou seja, é muito importante que a empresa esteja ativa nas redes sociais. Caso contrário, o engajamento com os seguidores será muito pequeno. É necessário divulgar bom conteúdo, ser frequente e ser participativo junto ao público. O foco disso, claro, também é o bom relacionamento com os clientes.

TRANSPARÊNCIA DAS INFORMAÇÕES

A companhia precisa ser transparente com seus seguidores e responder comentários e críticas, sem ignorar problemas ou falhas internas. Qualquer empresa está sujeita a passar por alguma crise, independentemente do seu tamanho. Por isso, ter alguém responsável por monitorar o que estão falando sobre a marca é tão importante quanto ter um plano de gerenciamento de crise. Apagar comentários ou tentar esconder erros não significa que o problema foi corrigido. Pelo contrário, existem canais especializados para reclamações, em que o cliente pode compartilhar em sua rede. Se isso acontecer, o problema com a imagem da empresa pode se tornar ainda maior.

IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO

Antes de a companhia criar sua presença digital, ela precisa saber o que deseja transmitir nesses canais online. Quando fala-se de redes sociais, é importante considerar as diversas etapas para que a estratégia nas mídias sociais seja efetiva. Por meio de um bom planejamento, de objetivos claros, é possível verificar a qualidade das informações, direcionar melhor os conteúdos para o público-alvo e compreender o potencial de engajamento da empresa nas redes sociais.

VEJA MAIS

> Como reduzir os custos no setor de vendas?

> Saiba como fazer o cancelamento da nota fiscal eletrônica

> Como manter o foco dos funcionários no trabalho?

4 dicas para divulgar sua empresa na internet

Veja como investir em marketing digital pode ser uma oportunidade para alavancar sua empresa

 

Já deu para perceber que o mercado digital está em alta, por isso apostar neste formato é uma ação inteligente.

Você já se perguntou como divulgar sua empresa na internet? Pois devia !

O marketing digital só aumenta com o passar dos anos, além de  se tornar uma das principais modalidades de divulgação.

Por isso, a seguir vamos entender como podemos utilizar o marketing digital e outras tendências para divulgar sua empresa na internet.

Marketing digital

Mas, afinal o que é marketing digital ? Trata-se de um conceito onde reúne algumas estratégias de marketing, porém online. Além disso, tem como objetivo expor a marca, produto ou serviço.

Porém, para ter resultados eficazes é preciso fazer um planejamento estratégico para saber quais ações sua empresa precisa realizar.

Apesar de ser uma boa oportunidade para as organizações, muitas empresas ainda não investem em marketing digital.

Segundo uma pesquisa realizada pela Nova Escola de Marketing com 1.024 empresas, este assunto ainda é novidade para as empresas.

O estudo aponta que 47,6% dessas empresas fazem uso desta estratégia somente há um ano.

E uma das principais dificuldades das empresas é entender quais estratégias de divulgação podem ser utilizadas para divulgar os seus negócios na internet.  Por isso, separamos algumas dicas!

#1 –  Explore o mundo online

Se você tem ou pensa em abrir uma pequena ou média empresa, precisa pesquisar e entender minimamente o marketing digital. Não ser encontrado online diminui a sua credibilidade e faz com que praticamente você não exista para o cliente. Chamamos de presença digital, um conjunto de plataformas integradas, como blogs, sites, fanpages, contas no LinkedIn, Youtube etc.

#2 – Conecte-se às mídias sociais

Uma grande vantagem das redes sociais é a facilidade de comunicação com milhares de pessoas em tempo real e regiões diferentes do país ou do mundo. Qualquer pessoa, em qualquer lugar vai receber informações sobre sua empresa.  Ou seja, são plataformas que sua empresa pode utilizar para fazer divulgação da marca e conquistar mais clientes.

#3 – Menos cartões de visitas, mais endereços de sites

Sites são uma das primeiras coisas que as pessoas buscam no Google quando ouvem falar de uma empresa. Devem ser construídos de maneira simples, intuitiva e priorizando a experiência do usuário. Além de trazer informações institucionais e algum contato direto, como preenchimento de cadastro, campo de e-mail, assinatura de newsletter e informações de canal de atendimento. É um ótimo veículo para inserir seus valores, objetivos e portfólio.

#4 – Linguagem: fale para o seu público-alvo

O mais importante é saber como o seu público alvo se comporta nas redes sociais e nos sites. Esse conhecimento é adquirido através de planejamento e observação diária. Os analistas digitais também são profissionais que podem ajudar micro e pequenas empresas nessa pesquisa. Algumas perguntas importantes:

 

  • Quem são seus clientes online: o que gostam?
  • Eles usam buscas do Google?
  • O que acessam?
  • Os maiores acessos são em smartphones ou em notebooks?
  • Quem são seus concorrentes?
  • Qual é o comportamento online dos clientes dos seus concorrentes?

Segmentando o público que você deseja é possível  utilizar com mais tranquilidade as ferramentas de anúncios e ter resultados mais assertivos.

Com todas essas dicas fica muito mais fácil divulgar sua empresa na internet e ainda acompanhar se o seu negócio está no caminho certo.

POR: Tainá Almeida

 

VEJA MAIS:

 

Como organizar um fluxo de caixa eficiente para sua empresa?

 Como reduzir custos no setor de vendas?

> As novas tecnologias que podem ajudar o seu negócio