6 estratégias de uma empresa liderada por mulheres para te ajudar a crescer

Segundo uma pesquisa realizada pela consultoria McKinsey & Co, as empresas cujos papéis de liderança são mais equilibrados entre homens e mulheres têm maior predisposição para ter retornos financeiros acima da média da indústria, algo em torno de US$ 4 bilhões ao ano. Mas, se é comprovado à eficácia que a igualdade de gêneros pode acarretar, como fazer com que os índices aumentem no mercado de trabalho? De acordo com especialistas, para melhorar as estatísticas, é preciso que a atuação das mulheres nas empresas seja fortalecida em todos os níveis.

Mas embora o número de mulheres que ocupem boas posições em empresas no mundo seja de apenas 21%, há quem acredite que esse quadro pode mudar – e para melhor. Um bom exemplo disso é a Globalization Partners, uma companhia que ajuda empresas a se expandirem internacionalmente, que já foi reconhecida como um dos mais importantes negócios liderados por mulheres em Massachusetts, nos EUA.

Sua abordagem singular em relação à cultura da empresa, onde as mulheres ocupam os maiores cargos, teve como resultado um aumento de US$ 17 milhões na receita anual nos negócios feitos com mais de 150 países em apenas três anos.

Pensando nisso, selecionamos algumas dicas de estratégias que a liderança feminina da Globalization Partners utilizou para impulsionar seu crescimento nos últimos anos. Confira e se inspire:

Uma cultura inclusiva não dá suporte para a empresa – ela a dirige

Cerca de 75% do trabalho realizado pela Globalization Partners é feito por mulheres. Mas a CEO e fundadora da companhia, Nicole Sahin, quer que este número aumente para 80%. Não se trata de uma questão filosófica ou moral e sim um propósito planejado. Esta empresa revolucionou a indústria, pelo fato das fundadoras trazerem uma perspectiva diferente ao mercado. Elas sabem que, se querem continuar inovadoras, devem buscar integrar perspectivas e experiências variadas no quadro de funcionários.

Propósito e lucro andam de mãos dadas

A Globalization Partners, além de ajudar empresas, também promove a inclusão funcionários estrangeiros rapidamente. De acordo com eles, isso facilita as relações entre fronteiras e limites, pessoas e companhias. Não se trata apenas de ganhar dinheiro ou participação de mercado, mas realizar algo que valha a pena ser feito.

Pense e assuma os riscos

Apesar do crescimento rápido, Nicole tomou a decisão de parar de ter novos clientes por vários meses. Para qualquer startup como a dela, isso seria algo impensável. Mas as líderes se preocuparam com o fato de que as operações pudessem se tornar insustentáveis com o passar do tempo. Elas então pararam de assumir novos projetos e concentraram-se na construção de uma estrutura para o futuro.

Não contrate um empregado, contrate uma pessoa

É importante oferecer um emprego que deixe espaço para o restante da vida do funcionário, com horários flexíveis e uma licença familiar generosa. Quando for tomada alguma decisão à respeito da política da empresa, é bom pensar não só no que é melhor para ela, mas também no que funciona para as pessoas que a compõem.

Invista no futuro, investindo em pessoas

Nicole disse que é política da empresa oferecer um período sabático pago. Isso inclui viagens internacionais totalmente pagas aos funcionários após cinco anos de serviço. “Viajar ao redor do mundo com meu marido, conhecer pessoas que eram tão diferentes de mim, mudou minha vida. Eu quero que meus funcionários possam experimentar isso com suas famílias”, explicou.

Pense no todo

Converse com possíveis clientes, fornecedores, parceiros e funcionários em todo o mundo. Leve várias expectativas em conta e crie uma empresa que trabalharia com todas elas. Para beneficiar a todos, pense no que as partes interessadas precisam e como você pode ajudar. Estes questionamentos podem tornar a sua viagem empreendedora muito mais lucrativa e respeitada por todos.