Últimas postagens

Ver todos

As 3 habilidades de negociação importantes

Se você tem problemas com negociações, concentre-se nessas três habilidades de negociação simples e fique muito melhor nessa arte

Pense em todas as vezes que você negocia: com novos contratados e funcionários existentes; com perspectivas de vendas e clientes de longo prazo; com fornecedores e fornecedores. Se você é proprietário ou líder de uma empresa, precisa de habilidades de negociação. Isso não é negociável.

Aqui estão as cinco habilidades de negociação mais importantes que você deve focar primeiro. Cada uma dessas habilidades provou valer milhões para clientes de David Finkel durante 25 anos.

Isso tudo veio recentemente à tona quando ele teve 35 dos seus melhores clientes de coaching de negócios que se juntaram a ele para um programa de um dia e meio de negociação na sua cidade natal, Jackson Hole, Wyoming. Estes eram 35 dos empresários e empresários mais bem sucedidos dos Estados Unidos.

Finkel perguntou ao empresários “Quantos de vocês se considerariam ultra-negociadores” que são fluentes e gostam de negociar? “. Dos 35 empresários, apenas dois levantaram as mãos. Em seguida, perguntou: “Quantos de vocês acham que você pode ser fluente em negociações e são sólidos nisso, mas não ama e sente que poderia melhorar?”. Um terço levantou a mão.

Por fim, perguntou: “Quantos de vocês acham que não são negociadores fortes ou confiantes? Quantos de vocês se vêem evitando negociar mesmo quando essa evitação funciona em seu detrimento?”.  Mais de 60% das mãos na sala subiram para isso.

Considerando o sucesso comercial que essas pessoas tiveram, Finkel achou que os números seriam muito mais direcionados às duas primeiras perguntas. Percebeu que tinha muito trabalho a fazer. E decidiu determinar algumas habilidades para estes empresários.

Neste artigo, está a lista de 3 habilidades para você começar a criar suas habilidades de negociação.

1. Seja claro em seus objetivos de negociação

Agora, você pode pensar que isso é óbvio, mas a realidade é que a maioria das pessoas que entram em uma negociação não pensaram sobre o que querem levar. Para esclarecer seus objetivos, há três perguntas importantes que você deve fazer a si mesmo:

  • Qual é o melhor resultado possível? Digamos que você esteja negociando para vender um produto, serviço ou empresa – o que você mais pode conseguir de verdade? São R$ 50.000 para o seu contrato de serviço? Ou talvez 22 milhões de reais para vender sua empresa?
  • Qual é a sua linha de fundo? Isso se refere à oferta menos aceitável. Se você é o vendedor, qual é a oferta mais baixa que você estaria disposto a aceitar? E se você é o comprador, o que mais você estaria disposto a pagar?
  • Qual é o seu plano B? Qual a sua melhor alternativa para um acordo negociado? O que você vai fazer se você não chegar a um acordo?

Você deve ter certeza de que, ao lidar com negociações cada vez mais importantes, gastará mais e mais tempo com as respostas a essas três perguntas.

2. Entenda sua assinatura de negociação

Você tem uma “assinatura” nas negociações como se tivesse uma com documentos. Aquela assinatura é o modo habitual que você vai sobre uma negociação. Algumas pessoas tentam entrar e bater a outra pessoa no preço.

Outras pessoas são realmente intimidadas, reticentes e com medo de pedir qualquer coisa. Essas pessoas negociam suavemente e geralmente acabam aquiescendo. Outras pessoas são ótimas na construção de relacionamento, mas no momento em que a conversa gira em direção a preço e termos, todo esse relacionamento desaparece.

Eles fazem uma mudança notável do modo de conversa para o modo de negociação. Entender sua assinatura padrão ajuda você a saber com o que está trabalhando.

Este é um passo particularmente crítico para o crescimento como negociador, porque há uma coisa que você pode garantir quando se trata de negociações: cada vez que você negocia, você estará lá. Você não pode pedir para sair da sala quando as negociações começarem.

Portanto, conheça sua personalidade, estilo e preferências. Descubra em que tipo de comportamento você optou no passado – como você se sentiu confortável em suas negociações anteriores.

Se você quiser ajuda para descobrir isso, você pode usar o seguinte exercício: dois participantes fizeram uma negociação enquanto um terceiro assistia e dava feedback posteriormente.

3. Construa motivação

Uma das coisas mais poderosas que você pode fazer em uma negociação é descobrir por que a outra parte quer fazer um acordo. Você pode fazer isso fazendo perguntas e construindo raízes de negociação.

Por exemplo, se você está comprando serviços de um fornecedor de TI, tente dizer algo como: “Fale-me sobre seus serviços de TI. Recebo ofertas de e-mail por serviços de TI o tempo todo. Como seus serviços são diferentes dos serviços oferecidos?”.

Fazer perguntas sobre sua concorrência e por que eles querem trabalhar com você – o que é para eles – constrói a motivação de sua contraparte em negociação.

 Fonte: David Finkel em Inc

5 maneiras de atrair investimento para seu negócio

Saiba como apresentar uma proposta e aumente as suas chances de receber investimento externo

Empreendedores à frente de empresas iniciantes não costumam hesitar diante de uma boa oportunidade. Recentemente, vem se tornando comum no Brasil um modelo de apresentação para quem está em busca de investimento em seus negócios, mas, nem sempre essa é uma tarefa fácil.

A primeira impressão é a que fica, por isso, existem estratégias e ferramentas que podem ajudar você a se sair bem uma apresentação aos seus futuros sócios.

Antes de tudo, é essencial estar próximo de seu público investidor. Ou melhor, organizar de forma uniforme e direta sua maneira de conversação. Segundo especialistas, você precisa, primeiro, executar certos requisitos, como criar o seu plano de negócios e ter cuidados no seu comportamento.

Com base nessas táticas, listamos 5 dicas para te ajudar a conquistar investidores para o seu negócio. Confira:

Disponha um plano de negócio

Ter um bom plano de negócios pode não ser a única razão para os investidores confiarem em uma empresa. Por essa razão, produza um plano preciso, ele é um bom exercício para você se convencer do possível triunfo de sua ideia.

Além de passar a imagem de que sua ideia é interessante, o plano de negócio ajuda a pensar quais pontos fortes e fracos os investidores criticarão na apresentação da sua proposta.

Explique como pretende utilizar os recursos pedidos

Forneça detalhes de como você irá gastar o dinheiro injetado, como, por exemplo, operações, marketing ou recrutamento. Se você precisa de profissionais de alguma área para ajudar sua empresa, detalhe o cronograma de trabalho e suas metas. Os investidores buscam avaliar você pelo plano de ação e evitam planejamentos gerais.

Pense de forma econômica

Faça o pedido do capital que será preciso para colocar o projeto nos trilhos, apenas isto. Questione-se: “Qual a quantidade mínima de recursos que meu projeto precisa, no momento, para chegar ao próximo nível?”. Com base nisso, faça também uma análise sobre como o investidor irá ganhar colocando dinheiro na sua empresa.

Agradeça e peça feedback

Logo após a apresentação do plano de negócio, entre em contato com os investidores individualmente. Agradeça-os pelo tempo doado e questione sobre quais áreas poderiam haver melhorias.

Criar um novo negócio é um processo longo. É possível que você tenha que apresentar o seu negócio várias vezes até conseguir um suporte bom. Neste processo, as melhores fontes de feedback são os seus prováveis investidores, que podem te dar dicas sobre as próximas apresentações.

Não espere por respostas rápidas e simples

Não aguarde por respostas como “sim” ou “não”. Um investidor pode soar entusiasta sobre dar suporte a seu projeto, mas vai levar um bom tempo para que você obtenha o acordo por escrito. Isto é porque investidores preferem ver o quão bem você está vendendo suas ideias para os outros, antes deles se convencerem a financiar sua proposta.

Um último aviso: se prepare para uma série de respostas como “talvez” dos investidores, pelo menos por alguns meses. Se você não desistir de sua proposta neste período, é provável que os investidores formem uma impressão positiva a respeito de sua persistência como empresário.

6 dicas de como melhorar o atendimento e fechar mais negócios

Fonte: Thinkstock

Que os consumidores sempre esperam um atendimento de qualidade para que haja bons negócios é um fato, contudo, esse é um ponto em que encontramos grandes falhas hoje nas empresas. Com um simples exame em nossas experiências particulares, já conseguiremos notar a enorme defasagem existente na área de atendimento.

Dentre os principais erros que observamos no atendimento, estão, entre outros, a má vontade no atender, a confusão em relação aos pedidos, erros nos valores e falta de informações sobre os produtos. Esses detalhes irão, em maior ou menor grau, prejudicar as empresas.

Toda organização necessita de um cuidado especial no atendimento ao público, sendo fundamental que o administrador se atente a esta questão e ofereça qualificação necessária para um bom atendimento.

Neste sentido, veja abaixo alguns pontos fundamentais para um atendimento eficaz:

Cuidados na comunicação verbal – ela precisa ser persuasiva e objetiva, tem que se preocupar com uma boa dicção para cativar o ouvinte;

Cuidado com a comunicação escrita – Muitas pessoas pensam apenas na fala, mas e-mails se tornam cada vez mais sinônimos de negócios e, infelizmente, há quem trate essa comunicação com negligência. Um único cuidado poderia evitar a maioria dos problemas: ler o que acabou de escrever;

Otimizando reuniões de negócios – Se o atendimento a um cliente for em uma reunião, essa deve ser otimizada, com pauta e tempo definido;

Conheça o que você esta vendendo – Para uma boa venda é fundamental conhecer o assunto com a maior profundidade que puder, esclarecendo dúvidas que possam aparecer e melhorando o diálogo com o cliente;

A prática leva a perfeição – Não deve haver timidez e a prática deve ser constante. Todas as oportunidades para se falar diante das pessoas devem ser aproveitadas.

Acredite em você – É fundamental identificar seus pontos positivos e ter confiança, mostrando-se proativo em relação à venda.

Em caso de dificuldades e desconfortos, o profissional se sentirá melhor com um roteiro das informações que irá expor na negociação, o importante é falar um pouco mais devagar para não deixar que seu desconforto seja percebido.

Por: Ricardo M. Barbosa

Autoconsulta gratuita de CPF já é uma realidade para muitos consumidores

Fonte: Thinkstock

Para auxiliar o consumidor brasileiro a ser, cada vez mais, o protagonista da sua vida financeira, a Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) oferece a autoconsulta de débito no Portal Consumidor Positivo que funciona 24 horas por dia, 365 dias ao ano.

A autoconsulta online é feita com a indicação do número do CPF, após um simples e rápido cadastro. O serviço, inteiramente gratuito, ajuda o consumidor a identificar débitos, restrições ou pendências financeiras em seu nome e os dados da empresa credora, para uma negociação direta da dívida, sem intermediários.

Como pode ser feita a qualquer momento, mesmo que o consumidor não receba uma carta comunicado, tem se tornado um hábito para muitos, tanto que mais de 7,9 milhões consultas já foram efetuadas em pouco mais de um ano da disponibilização do serviço, por parte da Boa Vista SCPC, por 3,1 milhões de consumidores.

Consulte gratuitamente seu CPF no link abaixo:

www.consumidorpositivo.com.br

Fonte: Tamer Comunicação Empresarial