Últimas postagens

Ver todos

Quais as prioridades para as PMEs durante a crise?

Manter o funcionamento de uma empresa não é nada fácil, ainda mais para as micro e pequenas empresas (PMEs). Os custos geralmente são altos e incluem, impostos, folha de pagamento, aluguel, fornecedores, energia, água, manutenção de equipamentos e demais contas. Tudo isso exige organização, atenção e controle das finanças. O que fazer neste momento de crise e incertezas? Como eleger as prioridades durante a crise está entre as dúvida de muitos pequenos empreendedores.

Quer saber como e por onde começar? Veja algumas dicas:

Para colocar a casa em ordem e ajudar no planejamento, a primeira coisa é separar a conta da empresa da conta pessoal. Misturar essas receitas é um erro cometido por muitos empreendedores e extremamente prejudicial para a saúde financeira do estabelecimento.

Feito isso, o segundo passo é levantar todas as despesas e receitas para os próximos meses, bem como discriminar esses valores e priorizar os gastos fixos e reduzir ao máximo os variáveis.

Especialistas também alertam que neste momento é preciso manter a rotina de “abrir e fechar”o caixa, mesmo que não seja efetuada nenhuma venda. É um medida que ajuda a acompanhar o fluxo financeiro da empresa.

E para ajudar ainda mais nesse acompanhamento, é sempre importante ter uma planilha ou até um software de gestão, ferramentas que vão te ajudar a controlar da melhor forma as finanças.

Eleger os gastos fixos com uma das prioridades durante a crise é algo importante para ajudar a manter a saúde financeira da empresa, confira algumas opções e orientações:

 

Fornecedores

Como o momento é de cautela, é importante ficar atendo ao estoque e fazer as compras conforme a necessidade, levando em conta principalmente que as vendas continuarão fracas durante um período.

Neste momento, é importante tentar a negociação com os fornecedores, para prolongar os prazos de pagamento, e considerar para isso a situação dos negócios.

 

Manutenção de empregos e salários

Nestas crise uma das grandes preocupações é com o desemprego. Por isso, manter um planejamento para a folha de pagamento é fundamental. Para auxiliar as empresas e ajudar na redução de gastos, o governo tem promovido uma série de medidas que tem como prioridade a manutenção do emprego durante a crise como: redução da jornada de trabalho e no salários e a disponibilização de linha de crédito para pequenas e médias empresas (PMEs), com o objetivo de contribuir para manter a folha de pagamento dos colaboradores.

 

Pagamento de contas

Garantir o pagamento de contas como aluguel e demais contratos, seja por meio de negociação de prazo ou redução do valor, é fundamental. Este é o momento para isso e vai ajudar e muito na saúde financeira da sua empresa.

 

Tributação

Os impostos são gastos recorrentes na vida de qualquer empreendedor. Diante da pandemia, o governo federal postergar o recolhimento de algumas tributações como o Simples Nacional, PIS e Cofins, mas é bom ficar atento e se planejar para não sair da crise no vermelho.

Algumas empresas ainda têm entrado com ações na justiça pedindo o adiamento do pagamento dos impostos. Essa é uma medida que tem que ser bem avaliada pela empresa, para não ter prejuízos depois, principalmente em relação às multas.

 

Iniciativas para micro e pequenas empresas

Nesta segunda-feira (20), a Caixa e o Sebrae anunciaram 7,5 bilhões em crédito para micro e pequenas empresa, assim como para os microempreendedores individuais (MEI).

De acordo com a parceira, a linha de crédito será disponibilizada pela Caixa e as garantias complementares oferecidas pelo Sebrae, por meio do Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe).

Com o Fampe é possível disponibilizar taxas mais competitivas, de até 40% menores do que são praticadas hoje pelo banco. 

Para o pequeno empreendedor que quer saber mais sobre o benefício e pretende manifestar interesse em utilizar o crédito é só acessar o portal da Caixa Econômica.