Como o segmento de beleza pode enfrentar a crise?

Todo o tipo de comércio está sofrendo de alguma forma com a pandemia do novo coronavírus. Mas, e os negócios ligados ao segmento de beleza, como podem se preparar para enfrentar a crise? Essas são as dicas que separamos neste artigo, para os empreendedores que oferecem esses serviços.

De acordo com dados do Sebrae, salões, centros de estéticas, esmalterias, barbearias, entre outras atividades do gênero, possuem mais de um milhão de microempresas e microempreendedores individuais, o que torna esse setor um dos mais afetados pela Covid-19.

Veja abaixo algumas opções para quem é do segmento de beleza não perder a clientela e manter o seu negócio em funcionamento, claro, seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e dos governos do seu estado e município.

 

 

Saiba quem é o seu público

Apesar da crise, aproveite este momento para conhecer melhor o seu público. Com a sua equipe de colaboradores, estabeleça o perfil  dos frequentadores do seu estabelecimento, principalmente, serviços que mais procuram, características físicas, bem como produtos e marcas que mais gostam.

 

Mantenha o contato com os clientes

Mantenha a comunicação com o seu cliente. Neste momento, especialmente para os negócios que estão fechados, é de extrema importância. Para isso, publique em canais  como Whatsapp, Instagram, Facebook ou Telegram, informações de interesse dos clientes, por exemplo, voltadas para bem-estar e beleza. 

Nesta ocasião, as redes sociais são fundamentais e podem ajudar e muito a manter a visibilidade do seu negócio e na ativação de campanhas de vendas.

 

Venda online

Na atual situação de crise gerada pelo novo coronavírus, você pode apostar nas vendas online. Isso mesmo! Ofereça aos seus clientes  a compra de um serviço antecipado, que poderá ser utilizado quando o espaço for aberto, por exemplo.

Também é possível oferecer kits específicos de produtos para grupos de clientes (aqui é o momento de se valer do mapeando do perfil de seus clientes). Uma forma de manter o vínculo com o seu consumidor, bem como oferecer um diferencial em relação a outros estabelecimentos do segmento de beleza, incluindo o e-commerce.

 

Revise gastos

Aproveite para rever onde pode economizar. Revise contratos e gastos mensais para ver o que é possível suspender. Isso vale para contas de internet, TV a cabo, telefone, software de gestão – lembrando que o sistema de gestão MarketUP é gratuito e pode representar uma boa economia no final do mês – e entre outros. Também é o momento para renegociar dívidas, incluindo o aluguel, com o objetivo de conseguir algum alívio para o caixa. E se precisar, procure a ajuda de associações ligadas ao segmento de beleza e até sindicato do setor.

 

Organização do estoque

Como qualquer empresa, é preciso estar com a administração em dia, e a gestão do estoque tem um papel fundamental em qualquer estabelecimento. Por isso, faça um levantamento das mercadorias (quantidade, validade etc.), reveja o plano de reposição dos produtos e, se for necessários, renegocie as faturas que estão próximas do vencimento. Essas são atitudes que, com certeza, vão ajudar na saúde do seu negócio.

 

Atualize seu estabelecimento

Se você ainda não chegou no momento da reabertura, já pode ir estruturando o seu espaço de trabalho com as recomendações de segurança. Quer dar uma renovada no visual, também é o momento, mas não se esqueça de cuidar da sua saúde, dos colaboradores e clientes.

De uma maneira geral, é preciso trabalhar com agendamento de horário, dispor de máscara para os funcionários (e exigir o uso da proteção para os clientes), disponibilizar álcool gel 70%, higienizar equipamentos e demais partes do ambiente a cada troca de cliente, entre outros. É sempre importante ressaltar, que antes de reabrir, o empreendedor cheque todas as recomendações dos governos estaduais e municipais de sua região para o funcionamento dos estabelecimentos referentes ao segmento de beleza.

 

 

Auxílio de crédito

Os bancos têm divulgado linhas de crédito para micro e pequenos empreendedores, principalmente BNDES e Caixa Econômica. Além disso, ainda vale a pena a tentativa ou até conversar com o gerente do seu banco para entender melhor as oportunidades oferecidas.