Últimas postagens

Ver todos

Estratégia de marketing: 5 dicas para trazer resultados

A estratégia de marketing pode ajudar a determinar onde os esforços devem ser medidos e quais iniciativas devem ser tomadas

A SEMrush é uma empresa global de marketing digital e fez uma pesquisa com mais de 8 mil empresas de 8 países, incluindo o Brasil, para determinar as melhoras práticas do mercado. Depois ela listou como uma boa estratégia de marketing pode trazer resultados.

Confira agora 5 dicas de estratégia de marketing para trazer resultados:

1.Fortaleça o SEO usando uma abordagem estratégica

SEO (Search Engine Optimization) ainda é muito importante para a estratégia digital, pois melhora a visibilidade da marca nos mecanismos de busca. Um dos pontos de destaque para a estratégia são as fontes mais eficazes de tráfego.

De acordo com o estudo, o tráfego direto (quando um usuário digita diretamente o nome do site) e o tráfego de pesquisa (quando um usuário é direcionado para o site via mecanismo de pesquisa) representam 42% e 40% de tráfego de sites de e-commerce.

2.Mude para a versão segura do site (HTTPS) 

É essencial mudar para HTTPS para ter uma versão segura do seu site, sendo ainda que o Google destaca os sites HTTPS nos resultados de pesquisa. Observando estatísticas, pode-se ver que a primeira página de resultados contém principalmente os sites seguros: 60,19% dos sites analisados usam a versão HTTPS, enquanto 39,81% deles ainda têm a versão HTTP.

Para entender melhor a situação, também foram analisados os 50 principais sites de comércio eletrônico no mundo. Com base nessa análise, verifica-se que 76,92% deles usam a versão HTTPS.

3.Faça otimização para dispositivos móveis sem reduzir a presença nos desktops

O uso de celular é uma tendência muito forte, especialmente na área de marketing digital. De acordo com o estudo realizado em 2017 sobre e-commerce, em números gerais há mais tráfego via mobile do que desktop. No entanto, o estudo revela que o desktop gera mais tráfego do que o mobile na busca orgânica para sites de comércio eletrônico.

Esses números são facilmente explicados pelo fato de que as pessoas fazem pesquisas preliminares usando dispositivos móveis, mas, para obter informações detalhadas sobre produtos ou fazer compras, preferem usar os desktops.

Como nem todos os sites têm uma versão para celular, sempre existem pequenas inconveniências dificultando a navegação, como o zoom ou um formulário que não funciona corretamente. Portanto, os especialistas de e-commerce devem manter a versão desktop de seus sites mesmo no mundo mobile.

4.É válido repensar campanhas de CPC (Custo por Clique)

Para atrair clientes, é preciso de uma forte campanha publicitária baseada em budget. O estudo da SEMrush analisou dados sobre o valor gasto pelo comércio eletrônico no Google AdWords e revelou que 50% dos e-business pesquisados investem US 1 mil dólares ou menos em publicidade paga por mês.

Já setores nichados podem ter uma realidade bem diferente – e mais cara: o setor de vestuário, por exemplo, é o que mais gasta em anúncios, chegando a direcionar de US $ 10.000 a US $ 50.000 por mês.

5.Use gatilhos emocionais poderosos em seus anúncios

Como é de conhecimento geral, é importante apostar em gatilhos emocionais certeiros em anúncios de comércio eletrônico. Ao fazer isso, pode-se atrair melhor a atenção do público-alvo e aumentar as conversões. E como escolher as frases certas para anúncios? Os termos que os maiores sites de comércio eletrônico usam em seus anúncios são, “frete grátis” (mais popular no Brasil), “sem juros” e “melhor preço”.

Fontes: E-commerce News e  Pesquisa de Ecommerce da SEMrush: Tendências 2018

SEO: como usar adequadamente em um e-commerce

O SEO é o conjunto de estratégias com o objetivo de potencializar e melhorar o posicionamento de um site nas páginas de resultados naturais nos sites de busca

SEO (Search Engine Optimization), também conhecido como otimização de sites, é rapidamente definido como uma forma de aumentar os acessos do seu site através de um conjunto de técnicas e estratégias que permitem que um site melhore seu posicionamento nos resultados orgânicos dos mecanismos de busca, como o Google.

Ser encontrado entre os primeiros resultados do Google é um dos principais desafios de qualquer negócio. Para isso, é necessário executar um bom trabalho de SEO, o que significa adotar um conjunto de práticas para otimização do site, com o objetivo de melhorar o seu posicionamento nos rankings de busca orgânica.

Para as lojas virtuais o SEO é ainda mais importante, visto que o seu sucesso depende totalmente de sua encontrabilidade online. É claro que existem outras formas de atingir um potencial cliente, mas o Google é sem dúvidas o mais importante canal de aquisição. Afinal, todo mundo utiliza o Google quando está em busca de algum produto, e portanto já acessa o seu site com interesse em comprar.

Fatores de ranqueamento

Antes de tudo, é importante deixar claro que o Google considera incontáveis fatores para ranqueamento, sendo crucial a presença de conteúdo relevante e autêntico. Você já deve ter lido por aí diversas dicas de SEO para sua loja virtual, mas nem tudo é possível de ser feito se não utilizar uma plataforma de e-commerce realmente comprometida com sua indexação orgânica. A seguir, confira o que é necessário buscar em uma plataforma para que seu site seja encontrado nos resultados de busca.

1.Criação de URLs amigáveis

A URL é um dos principais fatores de ranqueamento utilizado pelo Google, já que ela que é a responsável para indicar ao Google sobre qual assunto a página trata. Muitas plataformas se utilizam de códigos que geram URLs automáticas extensas e sem lógica para o usuário (e nem para o Google). Certifique-se que a solução é capaz de criar URLs simples e compreensíveis, mas que também lhe permite editá-las conforme necessário.

2.Personalização de heading tags, titles, descriptions

Estes itens são básicos e fundamentais para o trabalho de SEO. A plataforma deve permitir que você personalize os títulos e textos de descrição para todas as páginas de categorias, marcas e produtos. Lembre-se de sempre focar em utilizar as palavras-chaves para criação destes conteúdos.

3.Arquitetura do site: usabilidade, link building e breadcrumbs

A estrutura do seu site deve ser bem pensada e planejada, utilizando-se de uma arquitetura inteligente das informações e links internos. Seus produtos devem ser vinculados às suas categorias de forma adequada, para que qualquer item seja facilmente encontrado através da navegação pelos menus e filtros. Além de entregar usabilidade para o cliente, isso garantirá que o Google encontre, rastreie e indexe todo o seu conteúdo.

Também é interessante utilizar breadcrumbs, que mostram o caminho percorrido pelo usuário. Essa “trilha” pode aparecer na página do site e também no resultado da busca do Google.  Exemplo:  Smartphones > Motorola > Moto G.

4.Velocidade de carregamento

A velocidade carregamento do site é mais um dos fatores de ranqueamento para o Google que, não casualmente, está diretamente relacionado à experiência do usuário. Há alguns anos atrás, quando utilizávamos internet discada, até tínhamos mais paciência para esperar. Mas hoje se isso acontece, normalmente desistimos de acessar o site em questão. Se isso ocorre em um celular, então, quando ainda estamos sem conexão wi-fi, aí sim que fechamos a janela. Você pode analisar o seu desempenho e verificar sugestões de melhorias através da ferramenta PageSpeed Insights, disponibilizada pelo próprio Google.

5.Microdatas (Schema)

Ao que se refere a microdatas (Schema), certifique-se se a plataforma adiciona informações importantes em seu HTML, que indica ao Google dados importantes para o ranqueamento do produto,  como disponibilidade de estoque; quantas estrelas, nota ou média o produto possui; quantas e quais imagens são referentes ao produto; se há vídeo na página;  entre outras informações relevantes.